sexta-feira, 14 de abril de 2017

Outros Papos Drops: Assédio & Polícia


Assédio

Eu também sofri assédio quando estava trabalhando como escriturário. Começou com uma brincadeira sobre raspar meu cavanhaque, até que culminou em ofensas como ser chamado de doente. Sim, as ofensas partiam de uma mulher em cargo de comando. Todos podem sofrer assédio, independente de gênero, cor e religião e me mostra que o ser humano precisa evoluir muito para perceber que nós somos uma grande irmandade que precisa encontrar um equilíbrio. Existem muitos tipos de assédio, no meu caso foi o assédio moral. O que não se pode fazer é generalizar todo um gênero por causa de alguns que se comportam de maneira errada.

Polícia na Rua

No dia 08/04/2017, eu estava retornando para casa com a minha mãe. Ao entrar em nosso condomínio, notamos uma gritaria na rua. Um assaltante havia feito uma vítima, em um assalto, mas já estava sendo rendido por um policial civil, que estava passeando pelo local. O policial, com arma em punho, dominou o marginal. Em pouco tempo, dois policiais do Batalhão Militar chegaram para efetuar a prisão do meliante e levá-lo sob custódia. Quando a polícia está nas ruas, todos estão protegidos! Parabéns para a Policia Civil e Militar de Porto Alegre pelo rápido auxílio e intervenção.  


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Paz na Síria!




A luta pela fraternidade não pode se esgotar;
A humanidade precisa reconhecer o amar;
Pois o ódio leva a morte, ao destruir;
Lágrimas, dor e morte não precisam existir.
.
.
.
 Quando criança, eu escrevia no fim dos meus cadernos meus pensamentos e sentimentos. Algum tempo depois, eu reuni estas folhas soltas e as fiz miolo de um livro chamado Despertar do Amor. A maioria das palavras foram escritas nas décadas de 80/90, mas permanecem tão atuais. Abaixo um texto chamado “Luz e Trevas”, que pertence ao miolo do “Despertar do Amor”. Faço destas palavras um apelo contra a guerra na Síria, que culminou na morte, por asfixia, de várias crianças (veja aqui se desejar).


LUZ E TREVAS

       Paz! Um bebê, na inocência de sua ternura, dorme tranquilamente, sob os olhos atentos de seus pais. Sua inocência lhe faz sonhar. Medo! Na escuridão da noite, as bestas-feras rugem, soltando, por suas bocas sujas, fogo e destruição. Um rugir terrível corta o silêncio da noite. Luz e trevas, som e silêncio. Alucinadamente, uma besta-fera aproxima-se do lar. A criança nada compreende. O que é o seu mundo, além dos carinhosos afagos de seu pai, ou a doce melodia da voz de sua mãe, que a fez adormecer? Confusão! Agora, o mundo desta criança é pó. Fogo ardendo e estalando ao seu redor. Onde está sua mãe? Onde está o seu pai? Medo! Cercada pelas chamas que acompanharam a besta-fera, a criança chora! Silêncio! A criança não chora mais. O pai não afaga mais. A mãe não canta mais. O silêncio reina. A besta-fera, que outrora cruzava os céus, agora está em pedaços. E o selo da guerra, em sua fronte, a bandeira que ela seguia, também queima. Homens seguem adiante, em seu conflito, sem perceber que a inocência já se calou. Sua bandeira já está manchada. Sua vitória já teve um alto preço. .... Silêncio!



O que o Assad fez não tem desculpa. Um ditador medíocre que mata por asfixia suas crianças, com a desculpa de estar enfrentando o Estado Islâmico. Olhe os rostos das crianças mortas e me diga se isso é justificável?   


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Comenda Internacional Luís de Camões


Comenda Internacional Luís de Camões



Semana passada, eu recebi o meu troféu e título de participação na antologia internacional Luís de Camões. Antologia que me foi oferecida pela Real Academia de Letras do Brasil e pela Além-Mar Academia de Artes (Ilha da Madeira). A antologia em questão está sendo enviada para Portugal, Egito e estará guardada pela famosa e prestigiada Biblioteca de Alexandria.

A antologia, a medalha e o livro de participação me foram entregues pessoalmente pelo presidente da Real Academia de Letras do Brasil, em um evento simples, no Press Café, no Praia de Belas Shopping. Então, como conclui a mudança de apartamento, recomeço as atividades regulares do blog com estas palavras sobre o recebimento desta medalha e antologia.