sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Drops 2- Chain Chronicle; Demi-Chan Wa Kataritai


Outros Papos Drops 2

Chain Chronicle corretamente feito

Como o filme seria melhor estruturado para se adequar na história do jogo? Supondo que se fosse querer salvar o início do filme, como realizar isso? Yuri e o grupo perdem, sem a possibilidade de retirada. Pirika é morta, a aliança é destruída, o grupo do Yuri é aniquilado, Phoena é mantida cativa e o Yuri é torturado até ser corrompido e se tornar o Black Knight. Aquela realidade é destruída por completo e isso imediatamente após a derrota do Yuri. O Black King, e o dragão que lhe corrompe, vislumbram uma realidade na qual Yuri, Pirika e o continente ainda vivem. Eles começam a querer invadir a nova dimensão/ novo continente. Phoena consegue fugir levando o Chronicle com ela e é encontrada sem memória e desacordada por este novo Yuri. A aventura começa daí com a sensação de vulnerabilidade que se queria passar, mas deixando a reputação dos personagens e a ordem cronológica intactas.

Interviews With Monster Girls (Demi-chan Wa Kataritai)



Essa série é a melhor série, na minha opinião, que nos chegou nesta temporada. Eu fiquei bem curioso com um fato que eu percebi, e que pode render uma boa comédia para o enredo, caso o autor resolva usá-lo. Na mitologia do Vampiro, o personagem místico é impedido de entrar na casa de outras pessoas, a menos que ele seja convidado a isso.  Na série, o professor não somente a convidou, mas deu autorização para a vampirinha entrar, a hora que quiser, no laboratório dele. Isso pode render muitas piadas. Outra coisa que pode ser abordado durante a história é o fato de vampiros terem que contar grãos que são derramados na frente deles (eles parecem ter TOC heheh). Imagina a vampirinha perdida na cantina, tendo que contar grãos de arroz derramados sem querer na frente dela? Ia ser bem cômico!  Olha a abertura abaixo!



quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

O Amor é fraco

Melhor imagem que encontrei para ilustrar este poema gótico


O amor é fraco;
Basta não ser correspondido que enlouquece;
Basta o silêncio para pôr um fim a este sentimento pouco;
Basta desviar o olhar, que o amor adoece.

Já o conhecimento se esvai com crueldade;
Principalmente se por doença for afligido;
Traz angústia ao coração combalido;
Não lembrar de seu passado ou presente. Maldade.

Nada é constante;
Neste mundo nada dura eternamente;
Nem mesmo o verbo restará;
Quando a humanidade silenciar, tudo terminará. 

Enquanto o verbo resiste;
Vamos escrevendo nossa angústia;
Pois a alma humana ainda persiste;
Teimando até o fim. Que melancolia.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Atena e a figura feminina


Ou Atena e o feminismo



Eu fui comprar mais uma camisa de Cavaleiros do Zodíaco e estava interessado por uma com a estampa da Saori Kido como Atena, mas era uma estampa para uma camisa feminina. Conversando com a atendente, eu fiquei sabendo que a versão desta camisa belíssima estava encalhada. A atendente disse que as garotas odiavam a estampa, por ser uma estampa que representava Saori. Ela até tentou dar uma de presente a uma amiga, que odiou o presente. Faltou educação de quem recebeu o presente também, mas isso não vêm ao caso. Notei, então, uma verdade inconveniente: as feministas odeiam Saori por achar que ela é uma representação de uma mulher fraca e submissa. Um engano de quem não conhece a história. Atena é a personagem mais importante e forte da série. Usando uma expressão feminista, Atena é uma mulher alfa, que comanda cavaleiros.  Usando uma expressão do Xadrez, ela é o Rei.

Para começar esta argumentação, devo dizer que existem diversos tipos de combatentes em uma guerra. Um soldado no fronte (Cavaleiros de Bronze) é apenas uma manifestação de um elo maior que compreende: espionagem, estratégia, comunicação, fabricação, combate, incentivo, amparo médico, entre outros fatores. Saori Kido reúne nela os elementos de estratégia, comunicação, incentivo, amparo médico e suporte técnico. Ela, então, fornece aos seus Cavaleiros instrumentos para o combate na linha de frente. Sem tais instrumentos importantes, não existiria defesa na linha de frente. A guerra dela é mais intensa do que a dos Cavaleiros de Bronze e tão importante que nenhum de Bronze venceria sem a ajuda dela.

 Na Batalha das Doze Casas, por exemplo, ela já demonstra este grande valor. Atacada por uma flecha dourada, Saori tem dois arcos torácicos quebrados (no mínimo), com um ferimento que se aprofunda de hora em hora em direção ao coração. Já quebrou algum osso? Lembra da dor de movimento ao tentar mover a articulação cujo osso está relacionado? Agora, imagine essa dor de movimentação a todo momento que se tenta respirar, além da pressão que a ponta da flecha faz nos tecidos ao redor. E, de hora e hora, a flecha se movimenta sozinha e corta ainda mais tecidos sadios. Apesar de toda essa dor, Saori começa a proteger seus guerreiros já na segunda Casa do Zodíaco: Touro.

Todos já estavam derrotados, quando ela manifesta seu cosmo dentro da casa de Touro e ergue o Seiya de uma cova criada por Aldebaran. Nesse momento, ela preenche o cosmo do Seiya ao ponto dele conseguir criar uma energia semelhante ao de um Big Bang (explosão que deu origem ao universo). Aldebaran vê este cosmo poderoso atrás do Seiya e, neste ponto, começa a acreditar que os de Bronze estão mesmo com Atena ao lado deles.  E essa ação se perpetua em quase todas as casas e pode ser representada pelo vídeo abaixo. Saori lança seu cosmo, como palavras de estímulo aos seus Cavaleiros, os ergue e aumenta seus cosmos, enquanto enfrenta a dor de uma flecha no peito. Ela, então, orienta, comunica-se, protege e dá suporte aos seus guerreiros. E, se não me falha a memória, ainda fica pegando chuva deitada no chão da primeira casa. Não é incorreto afirmar, então, que, sem ela, os Cavaleiros de Bronze não teriam passado pelos doze Cavaleiros de Ouro. Cavaleiros estes que se curvaram a ela a reconhecendo como a deusa Atena deles.




Esta ferramenta torna-se clichê e se repete nas outras sagas. Na Saga Poseidon, por exemplo, Saori se sacrifica, colocando-se dentro de uma coluna na qual toda a chuva do mundo se condensaria. Não dá nem para imaginar a pressão da água (volume por metro quadrado) que toda a água de chuva do mundo faria ao se concentrar em um lugar tão apertado. Com certeza, não seria como uma piscina. Eu imagino que teria força suficiente para esmagar um tanque de guerra e ela se prontificou a ficar lá, pelo mundo. Novamente, enquanto era esmagada e se afogava, ela ajudava seus guerreiros a vencerem os guerreiros de Poseidon. E na saga de Hades, apesar de não mostrar, mas é inferido por um diálogo, Atena saiu no braço contra Hades, após decidir se matar para ir atrás do senhor do submundo.

Espero ter conseguido provar o quão forte, poderosa e importante é Saori Kido para a série clássica e como ela consegue combater com serenidade, sabedoria, espírito, palavras e sacrifício. Aos meus olhos, ela é uma grandiosa e forte representação da figura feminina.