quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Haiti Aqui Estamos I






Sim, a minha contribuição para esta antologia já apareceu aqui no blog inúmeras vezes e em outros livros meus também! 



sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Natal




Uma antologia lançada em 2006 para celebrar o Natal! Um livro bem simpático com contos e poemas natalinos. Aqui repeti um poema sobre a fraternidade.




quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Poemas de Fé




Poemas de Fé foi uma antologia lançada e enviada ao Vaticano. Foi recebida com carinho pela biblioteca e eu fiquei muito feliz com minha contribuição, apesar de alguns errinhos. 




quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

PAZ!



Esta foi uma antologia com o desejo de levar, ou alcançar, a Paz tão sonhada. Minha contribuição demonstra o quão horrível pode ser um mundo em conflito.


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Enciclopédia da Real Academia e Agenda

Além de ter sido verbete no dicionário de escritores de Brasília, também fui verbete nesse livro, além de ter contribuído com um pensamento para uma agenda lançada pela editora Litteris. Coloco aqui as duas contribuições!

Agenda Litteris 2005


E



quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Clássicos Contemporâneos



Recomeço foi uma poesia feita com o sentimento de perda. Eu havia perdido minha avó e isso começou a ocupar espaço em algumas obras minhas, como em "O Melhor da Poesia Brasileira" na qual eu repito um poema classificado para a antologia "Palavras da Alma Para o Coração". Poema esse que versava sobre ela. Por causa da repetição de temas, a antologia "O Melhor da Poesia Brasileira" não aparecerá no blog. 



segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional - VI



Trecho final da minha participação no XI Prêmio Cultura Nacional, com a conclusão do texto sobre sonhos. Novamente, demonstro interesse na filosofia da Seicho-no-ie. Cliquem para ampliar.



quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

O Impeachment é Legal!



O pedido de impeachment da Presidente da República, assinado e realizado pelo fundador do PT, Hélio Bicudo (Procurador de Justiça aposentado), e Miguel Reale, agora em trâmite legal pelo Congresso Nacional, tem respaldo na análise e rejeição de contas do governo pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O TCU rejeitou em plenário as contas de 2014 e viu indícios de que estas irregularidades continuam agora em 2015.


Na ocasião da análise das contas, o TCU encontrou 15 irregularidades. Cito resumidamente, baseado no voto do ministro relator (clique para ver na íntegra):

“1- Inobservância do princípio da legalidade (art. 37, caput, da Constituição Federal), bem como dos pressupostos do planejamento, da transparência e da gestão fiscal responsável (art. 1º, §1º, da Lei Complementar 101/2000), em face da omissão de passivos da União junto ao Banco do Brasil, ao BNDES e ao FGTS nas estatísticas da dívida pública de 2014 (item 2.3.5 do Relatório);
2-  Inobservância do princípio da legalidade (art. 37, caput, da Constituição Federal), dos pressupostos do planejamento, da transparência e da gestão fiscal responsável (art. 1º, §1º, da Lei Complementar 101/2000), bem como dos arts. 32, §1º, incisos I e II, e 36, caput, da Lei Complementar 101/2000;
3- Indício de irregularidade 9.2.5 - ausência do rol de prioridades da administração pública federal, com suas respectivas metas, no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2014, descumprindo o previsto no § 2º do art. 165 da Constituição Federal (item 3.2 do Relatório);
4- Inobservância do princípio da legalidade (art. 37, caput, da Constituição Federal), dos pressupostos do planejamento, da transparência e da gestão fiscal responsável (art. 1º, §1º, da Lei Complementar 101/2000), bem como dos arts. 9º da Lei Complementar 101/2000 e 51 da Lei 12.919/2013, em face da ausência de contingenciamento de despesas discricionárias da União no montante de pelo menos R$ 28,54 bilhões, quando da edição do Decreto 8.367/2014 (item 3.5.3 do Relatório);
5- Abertura de créditos suplementares, entre 5/11/2014 e 14/12/2014, por meio dos Decretos Não Numerados 14028, 14029, 14041, 14042, 14060, 14062 e 14063, incompatíveis com a obtenção da meta de resultado primário então vigente, em desacordo com o art. 4º da Lei Orçamentária Anual de 2014, infringindo por consequência, o art. 167, inc. V da Constituição Federal, e com a estrita vinculação dos recursos oriundos de excesso de arrecadação ou de superávit financeiro, contrariando o parágrafo único do art. 8º da Lei de Responsabilidade Fiscal.” (Ministro João Augusto Ribeiro Nardes)


Todas as 15 irregularidades, das quais citei apenas alguns pontos, fizeram o plenário do TCU rejeitar por unanimidade as contas da Presidência da República. O ministro João Augusto conclui seu voto afirmando: “O relatório demonstra, de forma cabal, o uso contínuo e reiterado de bancos estatais como ‘financiadores’ de políticas públicas, contrariando vedação expressa da LRF. (...) Houve desrespeito também à regra proibitiva da LRF quanto à realização de operações de crédito por antecipação de receita orçamentária no último ano de mandato da Presidente da República”.


O conteúdo da avaliação do TCU demonstra sérios crimes cometidos pelo Poder Executivo e crimes de responsabilidade da Presidência da República que tocam no âmbito criminal. Hélio Bicudo e Miguel Reale (jurista) afirmam no texto do impeachment (clique e leia)  que: “Essa notitia criminis demonstra que a Presidente, que sempre se apresentou como valorosa economista, pessoalmente responsável pelas finanças públicas, deixou de contabilizar empréstimos tomados de Instituições Financeiras públicas (Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil), contrariando, a um só tempo, a proibição de fazer referidos empréstimos e o dever de transparência quanto à situação financeira do país. Em suma, houve uma maquiagem deliberadamente orientada a passar para a nação (e também aos investidores internacionais) a sensação de que o Brasil estaria economicamente saudável e, portanto, teria condições de manter os programas em favor das classes mais vulneráveis. Diante da legislação penal comum, a Presidente incorrera, em tese, nos crimes capitulados nos artigos 299, 359-A e 359-C, do Código Penal, respectivamente, falsidade ideológica e crimes contra as finanças públicas”.


Logo, o impeachment torna-se uma ferramenta democrática, com base política e jurídica. Infelizmente, como também é uma ferramenta política, ela torna-se vulnerável ao poder dos partidos. Então, embora eu deseje o impedimento da Presidente da República, eu sei que isso só irá ocorrer se houver base política, ou seja, se o PMDB apoiar, pois o PMDB é uma das maiores representações no Congresso.



Conclusão


Desta forma, o pedido de impeachment é legal e se apresenta com conteúdo grave, verificado pelo TCU e amplamente investigado. Infelizmente, o petismo ainda bate na tecla do golpe, pois não tem como se defender de acusações nas quais a Presidente da República já foi reprovada. Venho usar o espaço desse blog para difundir as verdadeiras razões do impeachment, para que o conhecimento se intensifique e, com esperança, venha a evitar que as pessoas achem que se trata de um golpe. Não é um golpe, mas uma ação democrática e verdadeira, baseada em fatos graves. Aliás, se considerarmos que a Dilma, em campanha, omitiu a verdade de nossos olhos, para ganhar a eleição, o golpe foi dado pelo PT.


E que fique claro que, se houver o impedimento da Presidente, isto não significa mudança rápida na economia, pois o Executivo terá que mudar muito, mas que fique claro, também, que não se pode manter no poder um partido que fez tanto estrago em nossa nação.






quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional- V




Faço um texto meio sedutor em uma página e, na página seguinte, volto minha atenção para um texto reflexivo sobre sonhos. É mais uma questão de interpretação filosófica da realidade. Cliquem para ampliar.



segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional- IV



Termino o texto sobre a fé e a razão e iniciou mais quadrinhos usando o Comipo. Cliquem para ampliar.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional- III



Neste trecho, explico porque acredito que fé e razão devam coexistir em harmonia e equilíbrio. É um texto reflexivo sobre este ponto importante na vida de todos. Este trecho tornou-se parte de meu livro "Fé de Mais, ou Fé de Menos?". Cliquem para ampliar.



quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional- II



Neste trecho, eu apresento um triolé e um quadrinho. Eu estava fascinado por esse software, pois, pela primeira vez, uma pessoa normal (eu) conseguiu criar quadrinhos sem a necessidade de treino ou prática nas artes.



segunda-feira, 30 de novembro de 2015

XI Prêmio Cultura Nacional- I




Como de costume, neste trecho faço uma biografia e apresento um quadrinho feito com o software Comipo. O curioso é que em 2011, ano da edição da antologia, eu usava a plataforma do Wordpress, então, na biografia saiu um link que não uso mais.


domingo, 29 de novembro de 2015

Spoilers Don't Spoil- Minha Análise

Imaginem vocês, amigos se ofendendo por causa de spoilers; pessoas sendo ofendidas em fóruns por causa de um spoiler. É uma guerra que se perpetua e, recentemente, vi muitas empresas vindo à público para se desculparem por causa disso. Eu lembro de muitos fatos de minha infância, e um se encaixa perfeitamente nesta questão. Não existia internet decente no Brasil, na época em que a Manchete passava Cavaleiros do Zodíaco, então, para sabermos de novidades era preciso ler revistas especializadas (Heroi e Henshin, por exemplo). Em uma destas revistas, eu li todos os detalhes da saga de Hades antes da chegada dos quadrinhos (mangás) ao Brasil. Fiquei empolgado com a participação dos Cavaleiros de Ouro e isso não diminuiu o meu prazer pela leitura do clássico, quando o mesmo fora lançado no Brasil. Ao acompanhar a saga, eu fiquei muito feliz ao ler e reconhecer cada fato que eu já conhecia previamente. Outro exemplo que dou é com o filme 13º Guerreiro, pois vi e revi este filme mais de 10 vezes e ele sempre me satisfaz, mesmo tendo memorizado, inclusive, os diálogos mais importantes. Eu acredito que essa discussão vai além da comunidade nerd, embora esta comunidade em questão parece estar prisioneira deste embate. Por isso, decidi escrever este texto com base em pesquisas que encontrei.


Existem os que detestam spoilers e os que toleram. Os que detestam spoilers salientam que isso estraga o prazer de se ver uma série. Pode até acabar com a série. Fui buscar experimentos e pesquisas acadêmicas e encontrei algumas que deixo aqui. Um  Estudo da Universidade da Califórnia,  San Diego (Departamento de Psicologia) afirma: “People who flip to the last page of a book before starting it have the better intuition. Spoilers don’t spoil stories. Contrary to popular wisdom, they actually seem to enhance enjoyment.” O doutor em psicologia afirma em seu estudo: “that once you know how it turns out, it’s cognitively easier – you’re more comfortable processing the information – and can focus on a deeper understanding of the story”.


O interessante em uma pesquisa científica é que ela pode ser repetida por outros pesquisadores, pois segue procedimentos que podem ser repetidos pela sociedade acadêmica. Deste modo, o estudo acima foi repetido pelo professor (pós-doutorado) Benjamin K. Johnson, do Department of Communication Science, VU University Amsterdam, De Boelelaan 1081, 1081 HV Amsterdam, The Netherlands. Em sua pesquisa chamada “Spoiler Alert Consequences of Narrative Spoilers for Dimensions of Enjoyment,Appreciation, and Transportation” ele consegue resultados que batem com o estudo de 2011. Embora tenha achado algumas diferenças, o doutor conclui que spoilers não produzem impacto significante na audiência e tudo depende da experiência individual. Ele conclui a pesquisa afirmando: “The present results account for earlier findings by demonstrating that, depending on an individual’s personality traits, a spoiler can have differential effects on enjoyment of, or even one’s desire to read, a narrative. Furthermore, the larger finding that the interactions between personality traits and spoilers do not have similar impacts on selective preference and enjoyment indicates there are distinct processes at play when selecting versus reading a story. The impact of spoilers on the audience’s experience is thus somewhat individualized, and spoilers do not have a universally positive or negative impact on the audience’s experience.(...). In short, personality traits interact with spoilers to impact the audience experience, and future research can continue to unravel how individual differences affect audience responses to entertainment spoilers”.


Ano passado, a Netflix entrou nessa questão. Eles fizeram uma pesquisa da seguinte maneira: “This survey was conducted online within the United States between August 6 and 8, 2014 among 2,023 adults aged 18 and older by Harris Poll on behalf of Netflix via its Quick Query omnibus product. Figures for age, sex, race/ethnicity, education, region and household income were weighted where necessary to bring them into line with their actual proportions in the population. Propensity score weighting was used to adjust for respondents’ propensity to be online.”  E o que eles descobriram? Isso: “In the past, viewers might have gotten angry. Now, they're more pragmatic when it comes to spoilers, which have in essence become teasers. With everyone watching TV shows at different times, 76% of Americans say spoilers are simply a fact of life. In fact, almost all of them (94%) say that hearing a spoiler doesn’t make them want to stop watching the rest of a TV series. And 13% report that a spoiler actually makes them more interested in a show they hadn’t seen or weren’t planning to watch”. (Grifo meu)



Caso prático

Vamos a um exemplo prático. A final do MasterChef (Band) teve um spoiler amplamente divulgado quanto ao nome da vencedora. Como mostra reportagem do site da rádioTransamérica: “De acordo com a publicação (Agora São Paulo), o publicitário Raul ficará com o segundo lugar, perdendo o posto de MasterChef para Izabel.” Rapidamente, muitos já sabiam o resultado final da competição, porque o Agora São Paulo possui boa visibilidade e bom número de visualizações. Além disso, a rádio Transamérica, ao divulgar esta nota acabou, também, colaborando para distribuir e melhor divulgar este spoiler gigantesco.


E agora? Se quem detesta spoiler estivesse certo, com certeza o ibope da final teria sido baixo, porque as pessoas perderiam o interesse, afinal, já sabiam o resultado da final. Nas palavras de Patrícia Kogut; “A final do “MasterChef”, exibida das 22h38m às 1h18m, teve recorde de audiência, com média de dez pontos. É muito, dados a duração e o horário da atração, que avançou pela madrugada. Um índice que a Band raramente fatura.”


E o pessoal movimentou o twitter também. Segundo MSN: “Em uma ação inédita, a direção do programa anunciou o resultado primeiro no Twitter. Os internautas foram brindados com o anúncio em primeira mão como forma de agradecimento pelo sucesso do reality culinário na rede social. Para ter uma ideia, somente na final foram mais de 1,6 milhão menções ao projeto no microblog deixando a atração em primeiro lugar nos Trending Topic mundial durante horas”. Apesar da descoberta da vencedora do programa, isso não afetou nem a audiência e nem a interação, ou divertimento, de quem assistiu. Aliás, o interesse aumentou. 


Vamos a mais um exemplo? O que dirá, então, de filmes que vazam na internet? Afinal, quer maior spoiler do que um filme estar todo ele disponível na rede, antes de seu lançamento oficial? X-Men Origins: Wolverine caiu na rede e teve mais de 4 milhões de downloads antes de seu lançamento. Muito provavelmente, algum vizinho baixou e contou os detalhes para outros, mas, mesmo assim, foi um fracasso? Não! Rendeu quase 180 milhões de dólares nos EUA e mais 193 milhões no resto do mundo.


Leiam mais aqui: Quando um filme cai na web antes de estrear no cinema. Revista Época! Veja que não existe relação entre “saber algo previamente sobre uma atração e seu divertimento estar arruinado”, aliás, na reportagem da Revista Época, podemos tirar outro exemplo de como spoilers podem ser benéficos. No caso de Tropa de Elite, o pessoal que assistiu antes elogiou tanto, que beneficiou o lançamento do filme nos EUA (leiam clicando no link em destaque acima).



Os censores do Spoiler e o Direito Brasileiro

Spoiler pode ser definido como uma revelação de partes de um enredo, ou seu todo, ou seja, é fruto da comunicação e da expressão escrita ou verbal. Alguém que tenta informar algo sobre alguma coisa. Um processo da informação. Sendo fruto da comunicação, proibi-lo é impedir a livre expressão do interlocutor. Quem impede a liberdade de expressão e, portanto o spoiler, é um censor. A ministra Carmen Lúcia (STF) assim descreve a ação maligna do censor: “Censura é forma de controle da informação. Alguém, que não o autor do pensamento e do que quer se expressar, impede a produção, a circulação ou a divulgação do pensamento ou, se obra artística, do sentimento. Enfim, controla-se a palavra ou a forma de expressão do outro. Pode-se afirmar que se controla o outro. Alguém – o censor – faz-se senhor não apenas da expressão do pensamento ou do sentimento de alguém, mas – o que é mais – controla-se o acervo de informação que se pode passar a outros”.


 Se os censores fazem isso com empresas, o que dirá com o indivíduo. E isto está errado, pois mexe com o direito de informar e de se informar, isto é, o direito que o indivíduo tem de se informar sobre assuntos relacionados com o universo que ele deseja acompanhar. Este direito, como afirma a ministra em seu voto: “relaciona-se à liberdade de buscar a informação em fonte não censurada e sobre qualquer tema que se revele de interesse do cidadão. Coartar a busca livre de assunto ou em fonte circunscrita antecipadamente significa limitar a liberdade de obter dados de conhecimento para a formação de ideias e formulação de opiniões. O direito fundamental constitucionalmente assegurado compreende, pois, a busca, o acesso, o recebimento, a divulgação, a exposição de dados, pensamentos, formulações, sendo todos e cada um responsável pelo que exorbitar a sua esfera de direitos e atingir outrem”.


Parte do voto impresso da Ministra Carmen Lúcia



E a liberdade de expressão é fundamental para se manter uma sociedade. É tão importante que faz parte de convenções e tratados internacionais. É tão importante, que ninguém, exceto censores, cogita tentar calá-la. Carmen Lúcia: “O direito à liberdade de expressão – transcendendo o cogitar solitário e mudo e permitindo a exposição do pensamento - permeia a história da humanidade, pela circunstância mesma de ser a comunicação própria das relações entre as pessoas e por ela não apenas se diz do bem, mas também se critica, se denuncia, se conta e reconta o que há de vida e da vida, da própria pessoa e do outro, fazendo-se a arte exprimindo-se o humano do bem e do mau, da sombra e do claro. E forma-se pela expressão do que é, do que se pensa ser, do que se quer seja, do que foi e do que se pensa possa ser a história humana transmitida. Afinal, no princípio é o Verbo. Encarna-se a vida no Verbo. E o verbo faz-se carne e torna-se vida”.


Defender a liberdade de expressão em seu todo é defender aquele que informa, que busca a informação e, portanto, mantêm a sociedade através do debate e a alimenta com recursos.



Conclusão


A conclusão que eu chego é que spoilers não estragam a história, entretanto, a população está dividida e em guerra por causa disso. Como foi mostrado pelas pesquisas, o temor que uma série amada fracasse, por causa de spoiler, é sem fundamento. Já a pesquisa da Universidade de Amsterdam nos indica que o processo de aprendizagem individual deve ser respeitado, ou seja, se uma pessoa não gosta de spoiler, ela deve ser respeitada. A que gosta de spoiler também deve ser respeitada. Desta forma, acredito que devemos combater e estimular:


O que combater

O que se deve combater é a figura do censor, ou seja, a pessoa que tenta controlar a outra, pois isso fere a liberdade de expressão e a busca pela informação. Impedir que uma pessoa dê um spoiler, ou busque um spoiler, é contra a realização plena da comunicação e contra tratados internacionais que nos garantem o direito à informação e a liberdade de expressão.


O que estimular


Estimular o respeito. Se a pessoa não gosta de spoiler, que seja respeitada. Se a pessoa gosta de spoiler, que seja respeitada também. Afinal, não existem vilões (com exceção da figura do censor), apenas pessoas tentando interagir sobre um determinado assunto. Vamos, portanto, nos respeitar.  Se o respeito não for obedecido, como diz a ministra, cabe a advertência adequada ao desvio de conduta. Agora, se você fica paranoico por causa de spoilers, ao ponto de agredir um amigo, é hora de procurar ajuda. 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Livros que mudaram o mundo II




Trecho final da minha participação nesta antologia. É uma filosofia linda que quero compartilhar com todos, afinal, sempre vi o meu trabalho como uma oportunidade de transmitir belas e importantes mensagens sobre vida, amor, paz e luz. Cliquem para ampliar.


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Livros que mudaram o mundo I




Antologia realizada pelo Sindicato de Escritores do DF e, atualmente, à venda no Amazon. Nela, versei sobre um tema que me interessava, pois, nessa época eu havia recebido um grande milagre, que foi a recuperação da saúde de uma pessoa amada. Decidi estudar mais da filosofia da instituição que me proporcionou uma imensa alegria. Saiu este texto.



segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Literatura Pela Vida e Pela Paz



Concurso literário realizado pela editora Litteris (RJ). Fui classificado e tornei esse poema em um vídeo para o Youtube. Eu deixo os dois aqui, tanto o texto escrito como o vídeo. O livro é de meu arquivo pessoal, então, está com as páginas amarelas.







sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Sou um verbete em dicionário!




Uma curiosidade sobre mim, que talvez vocês não saibam, é que eu sou um verbete em dicionário. Foi um trabalho realizado pelo nobre escritor Napoleão Valadares. Ele assim descreve, em uma introdução, a origem e finalidade deste trabalho:

 "AO LEITOR
A falta de uma obra de consulta sobre a literatura de Brasília vinha
dificultando as atividades de estudantes e pesquisadores. Daí, termo-nos
atirado à empreitada da elaboração deste dicionário, visando a oferecer aos
interessados um livro sobre o assunto.
Clemente Luz, que escreveu no período da construção de Brasília,
foi o primeiro a publicar crônicas em jornais na Cidade Livre, mas essas
crônicas só vieram a ser reunidas em livros muito depois: Invenção da cidade
em 1968 e Minivida em 1972. Também no início, José Marques da Silva
escreveu Diário de um candango, mas só publicou esse livro em 1963, no
Rio de Janeiro. Garcia de Paiva foi, conforme afirma Fábio Lucas, o primeiro
ficcionista a fazer de Brasília cenário de ação romanesca, com a novela
Luana, aqui escrita em 1960 e publicada em 1962, em São Paulo. De sorte
que a primeira obra literária editada na Nova Capital foi a antologia Poetas
de Brasília, 1962, Editora Dom Bosco, organizada por Joanyr de Oliveira.
Mas não vamos contar a história da literatura de Brasília. O nosso
objetivo não é esse, nem somos a pessoa mais indicada para fazê-lo. Que-
remos apenas entregar ao leitor um dicionário de escritores que residam
ou tenham residido nesta Capital e que aqui tenham desempenhado suas
atividades intelectuais.
Definir o que vem a ser escritor é algo difícil. Será escritor apenas
o que escreve literatura? Sê-lo-á também o que escreve sobre literatura? o
que escreve trabalhos técnicos? o que escreve um livro qualquer e o publi-
ca? o que bem escreve, mesmo não publicando? o que tem o dom e ainda
não escreveu? Como tivemos que adotar um critério quanto à inclusão dos
autores, optamos pelo de incluir os publicados em livro.
Não apresentamos biografias, mas sínteses biográficas, para ter-se
um perfil profissional e intelectual de cada autor, para ter-se uma informação,
ainda que elementar, sobre sua obra. Os verbetes mostram-se sucintos, sem
opinião pessoal, sem crítica. A nossa preocupação não é fornecer o maior
número possível de dados, mas apresentar dados precisos, tanto quanto pos-
sível.
Trabalhamos com a intenção de servir, com a intenção de passar às
os do estudante desarmado um instrumento de que se possa valer em sua
luta. Se este trabalho puder dar ao consulente uma ajuda, por pequena que
seja, estará cumprido o nosso propósito.
Napoleão Valadares"






quarta-feira, 18 de novembro de 2015

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

XII Prêmio Cultura Nacional- IV



Aqui inicio minha tentativa de criar um triolé e um rondó, além de explicar um pouco sobre eles. Cliquem para ampliar.



sexta-feira, 13 de novembro de 2015

XII Prêmio Cultura Nacional- III



Mais um trecho versando sobre animês.  Em cada trecho que encontro, percebo o quão apaixonado sou pelo universo dos animês.


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

XII Prêmio Cultura Nacional- II




Os livros não estão aparecendo em ordem, neste blog, pois eu estou usando primeiramente os exemplares próximos ao meu escritório. Depois, eu vou colocar os outros que estão em arquivo. Por isso, um prêmio mais recente pode aparecer na frente de outro mais antigo. Neste trecho, verso sobre assuntos diversos, usando haikais para exemplificar.





segunda-feira, 9 de novembro de 2015

XII Prêmio Cultura Nacional - I



Na primeira parte desta antologia, eu já explico o que estou realizando, por isso, não acho necessário ficar repetindo aqui. Boa leitura.