quarta-feira, 4 de junho de 2014

Sorriso

Continuação dos poemas sobre o sorrir- XIII Prêmio Cultura Nacional

Eu, ao centro!



Sorriso
Sorrir abre o mundo,
Aos olhos deste Raymundo,
Para a beleza de se viver,
Pois é algo que não pode se descrever.

Sorrir abre o mundo,
Aos olhos deste Raymundo,
Faz a terra tremer,
Debaixo de uma gargalhada a ferver.

Sorrir abre o mundo,
Aos olhos deste Raymundo,
Deixa sem fôlego, sem respiração,
Ardendo como se fosse paixão.

Sorrir abre o mundo,
Aos olhos deste Raymundo,
Não fale-me de tristeza,
Não quero ouvi-la, nem de sua alteza.

Sorrir abre o mundo,
Aos olhos deste Raymundo,
Confia em mim e sorria,
Para a beleza de se viver,
Pois é algo que não pode se descrever.
Então, sorria, ao menos neste dia!