segunda-feira, 14 de abril de 2014

Símbolos, os Animês e Mangás

Como Compreender Símbolos




Este é um guia rápido da Editora Senac, de São Paulo, sobre a simbologia nas artes, escrito por Clare Gibson, que é especialista na área. Comprei este livro, pois ele contêm explicações para diversos simbolismos que vemos em animações japonesas e nos quadrinhos também, além de outros símbolos de diferentes culturas. Segundo a sinopse:

O essencial para desvendar imagens e sinais na arte, em um livro pequeno no formato e amplo no conteúdo:
- A linguagem do simbolismo: as pistas e mensagens que artistas e anônimos, desde os tempos remotos, codificaram em seu trabalho.
- Os tipos de símbolos: os sagrados, os pertencentes a um sistema específico, os indicadores de uma identidade e os alegóricos.
- As diferenças e as semelhanças: comparações reveladoras entre símbolos de culturas e povos de todas as partes do mundo. (Site da Saraiva)

O livro explica os simbolismos e eu os inseri dentro do contexto com exemplos advindos de um animê e de um mangá, mas antes de entrar no conteúdo do livro, uma pequena explicação sobre símbolos. Segundo António Fidalgo- Semiótica Geral (1999: 18), “Símbolos são signos em que, não havendo uma relação de semelhança ou de contiguidade, há uma relação convencional entre representante e representado. Os emblemas, as insígnias, os estigmas são símbolos. A relação simbólica é intencional, isto é, o simbolizado é uma classe de objetos definida por propriedades idênticas”.  Em outras palavras, é um jogo de significados. Um autor projeta um símbolo cultural, em um personagem, e incorpora ao mesmo a definição que tal símbolo traz consigo. Um exemplo prático: ao desenhar uma policial, usando-se do símbolo da polícia, o autor dá a personagem todo o significado que aquela entidade possui. Ela coloca na personagem o significado do que venha a ser uma policial, através dos símbolos que representem a entidade na sociedade.

You're Under Arrest


Isso pode ficar muito complexo, quando o autor usar símbolos milenares em suas obras. Em se tratando de animês, isso é frequente, então, a leitura deste guia prático é importante para desvendar o que o autor deixou subentendido através de algum símbolo que o personagem venha a ter. Vou explicar com dois quadros. Cliquem para ampliar e desculpem a qualidade, fiz no paint, no sábado à noite. E domingo apliquei alguns efeitos na imagem, com um programa gratuito. Desculpem!


A arma usada por Shurato, na verdade, segundo o livro, é um Varja que simboliza as qualidades de suprema autoridade, irredutibilidade e iluminação da lei budista. Como devem lembrar, Shurato representava tudo isso. É o símbolo religioso determinando significados para o personagem. Ao compreender o significado do símbolo, fica evidente todos os demais aspectos relacionados ao "Poder de Shuuraaaaa!"


Shurato e "Como Compreender Símbolos"- pg 111




Até mesmo um simples ideograma é fonte de um significado poderoso. Como sabem, ao atacar, ou defender-se, o Cavaleiro de Ouro de Virgem (Lost Canvas) evoca o poder de um simples ideograma que verbalizado determina o som de "OHM". Um som que, segundo Clare Gibson, possui ressonância divina nas tradições sagradas da Índia e representa os poderes combinados de Brahma (criação), Vishnu (preservação) e Shiva (destruição).  



Capa de Lost Canvas 8 e "Como Compreender Símbolos"- pg 123




O conhecimento do significados destes símbolos é importante para ampliar nossos horizontes e nos fazer entender melhor o que está acontecendo, ou seja, o que o autor, em seu enredo, tenta transmitir com o uso destes signos, destes símbolos. Ao saber o que eles significam, tenho certeza, a história melhora, o interesse aumenta e o poder da cultura é entendido em sua totalidade. Vai dizer que, agora que conhece o significado de "OHM" (Lost Canvas), o impacto deste golpe não aumenta? Claro que sim! 




Se quiser ter este maravilhoso guia, encontre-o aqui (clique para ir até a Saraiva)