Pular para o conteúdo principal

Bienal do Rio de Janeiro- O evento e minha participação!


    

    Está acontecendo, no Rio de Janeiro, uma das mais importantes festas literárias brasileiras. Ao lado da Bienal de São Paulo, a Bienal do Rio de Janeiro reúne expositores, leitores e autores de grande prestígio mundial. Neste ano, esta festa completa 30 anos de existência. Começou de forma tímida, mas prestigiada, em 1983, nos salões do hotel Copacabana Palace. Hoje, vigorosa, está sediada no Riocentro e seus 55 mil metros quadrados.

    Como todo bom evento, a Bienal se renova constantemente e inova em certos aspectos. A inovação deste ano atende pelo nome de Acampamento na Bienal que, segundo informações do site: “a área é dedicada especialmente aos jovens leitores. Interatividade não vai faltar aqui. O grande tema deste espaço será a literatura de convergência, como as diversas mídias estão proporcionando novas experiências nesta arte. Os participantes terão contato com as mais novas formas de literatura e poderão participar de atividades como a Máquina de Ler. O bate-papo ficará por conta de nomes como André Vianco, Paula Pimenta, Felipe Neto, Porta dos Fundos, André Fan, Eduardo Spohr e Raphael Draccon. Além do espaço criado especialmente para esta atividade, o #acampamento na Bienal conta ainda com um blog, um fanzine que será distribuído no Riocentro e um concurso cultural. Curadoria: João Alegria.”

    Os jovens parecem ser o público alvo principal desta Bienal, pois há outro espaço para que a conversa possa convergir para assuntos relacionados à juventude. Este espaço chama-se Encontro com Autores e Conexão Jovem. Pelas palavras da Bienal, “lugar perfeito para encontrar aquele escritor superbadalado que você adora. Autores dos livros mais vendidos passarão por aqui para conversar e debater suas obras. Com grande capacidade de público, este ano o evento terá atrações como Nicholas Sparks, um dos mais queridos e lidos da atualidade, autor de livros como "Diário de uma Paixão" e "Noites de Tormenta"; Thalita Rebouças e Maurício de Sousa estarão juntos no lançamento do livro "Ela Disse, Ele Disse: o namoro"; James C. Hunter, autor de "O Monge e o Executivo" e Sylvia Day, autora de "Toda Sua". Sempre uma atração diferente. Escolha a sua e participe desse encontro inesquecível!

    A Bienal ainda preparou lugar para quem gostaria de dar uma espiadinha no que está acontecendo por lá, mas ainda está em casa. De sua casa, ou de qualquer lugar que tenha uma boa conexão, você pode dar uma conferida no que está acontecendo pelo Bienal Ao Vivo (cliqueaqui e veja a programação). Clique nas imagens para ampliar!




    Então, como não poderia ficar de fora, estou participando deste evento com o livro “Mangá Tropical- Um Estudo de Caso” que está à venda pelo estande da Perse, no Pavilhão Verde, da Bienal. O Mangá Tropical- Um Estudo de Caso é uma análise para verificar se podemos identificar a narrativa e estruturas estéticas japonesas em mangás brasileiros. Com o estudo de um caso particular, a antologia Mangá Tropical, da Via Lettera, eu verifico o que chamei de arcabouço temático japonês e verifico se, no Brasil, conseguimos realizar esta fagia dos elementos japoneses e criar o nosso próprio arcabouço. Confira o resultado na Bienal. Veja abaixo o endereço e o banner de participação de meu livro.  




______________________________________________________
Informações gerais
XVI Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro

29 de Agosto a 08 de Setembro de 2013

--- 
Horário

Dia 29 de Agosto: 13h às 22h
Dias de semana: 9h às 22h
Fins de semana: 10h às 22h

---
Local do Evento

Riocentro
Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca
22780-160 – Rio de Janeiro – RJ

---
Valor do Ingresso

Inteira
R$ 14,00
Meia-Entrada*
R$ 7,00


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…