sexta-feira, 27 de abril de 2012

Dvds para colecionadores- Oh My Goddess!


Oh My Goddess- Volume 1 ao 6


    Como colecionador fanático de dvds, eu sempre me pergunto aonde vamos parar com a crescente evolução das streamings tvs e da pirataria? Matéria do Crunchyroll nos indica que a crescente onda de compras pela internet está acabando com as grandes redes de mercado, como a Best Buy, que fechou diversas lojas físicas de sua rede. Segundo o artigo, a diminuição das lojas físicas, da Best Buy, pode promover uma maior procura pelos serviços de streaming tv, tal qual o Crunchyroll o é. Também fui conhecedor de uma pesquisa de vendas de dvds no Brasil, que indicou a diminuição das vendas em um nível nocivo para a indústria.


    Apesar deste parágrafo totalmente sombrio, creio que a indústria de vendas de dvds se concentrará na venda de produtos para colecionador e a um preço acessível. Pequenas empresas estão entrando nesse mercado. Apesar de desconhecer se a AnimeWorks ainda produz, ou se ela não mais produz, eu conheci um trabalho interessante da empresa. Oh My Goddess, com um box do volume 1 ao 6, que garante toda a primeira temporada da animação, me chegou ontem. Fiquei feliz com o trabalho realizado, que exponho à seguir:





    A capa é plastificada com uma imagem belíssima da deusa Belldandy, com destaque para a imagem e um título colocado no centro dando equilíbrio à imagem total. A sensação visual que a capa, como um todo, transmite é de serenidade. As cores predominantes são o azul e o branco e nos causam uma sensação de alegria e tranquilidade. É difícil não ficar contemplando a capa por um bom tempo.





    A capa final a nos traz, novamente, o predomínio do azul e do branco e possui um equilíbrio visual interessante, pois todas as imagens estão do lado esquerdo, enquanto que a explicação da série está no campo direito em um bloco conjunto. Um bom trabalho de equilíbrio de imagem e texto, pois a capa final, a meu ver, não possui um lado mais pesado, visualmente, que o outro. É uma sensação de equilíbrio muito interessante. Também não achei que a contracapa tenha ficado poluída com todas as informações e imagens, porque tudo ficou no seu devido lugar.





    Os dvds estão colocados de maneira a se ajustarem um ao outro. Todos os seis dvds estão com belíssimas imagens, de todos os personagens principais da série, e são um encanto. As cores do logotipo dos dvds variam, então, não fica tediosa a escolha dos dvds para se assistir.  Só achei engraçado que o furo central do primeiro dvd está tão perto de uma parte íntima da personagem Belldandy que eu tive que rir ao ter que inserir o dedo lá para colocar o dvd no player. **Desculpa Belldandy** ^___^”





    Sobre o conteúdo, assisti ao primeiro dvd apenas, afinal, chegou ontem, minha gente, mas não fiquei desapontado, pois em um único dvd pude assistir a todos os 5 primeiros episódios, trailers, e entrevistas com os dubladores japoneses da série e isso me deu a certeza de que a capacidade de cada dvd foi usada quase ao máximo. O som é que foi regular, pois tanto o som em japonês, como o som em inglês, foram realizados em 2.0 cada.



    A série é genial. Estava com saudades de assistir animações do estúdio AIC, que realizou Tenchi Muyo, El Hazard, BBG Crisis Tokyo 2040, Blue Seed entre tantas outras séries que embalaram minhas noites pós-faculdade, ao assisti-las no extinto canal Locomotion. As animações são sempre belas e, perdoem-me se houve alguma animação em 3-D, mas eu não as notei, fiquei com os olhos pregados na lindíssima animação 2-D e somente para ela. Claro que essa última frase foi irônica, para enfatizar meu apreço pela animação 2-D.






    Comprei esta maravilhosa coleção pela Livraria Cultura e ao preço de R$169,90 mas o preço acabou de subir para R$194,90. Não considerei caro comprar a menos de 170 reais, pelo trabalho artístico que pude perceber, e apreciei cada detalhe deste dvd. Se a indústria de dvds desejar sobreviver ao mercado ditado pela internet, pirataria e streamings tvs, deverá sempre produzir material com esta qualidade (ou superior) e a um preço acessível para quem quiser colecionar, assim como eu.   

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Quadrinho e poema: O silêncio!

Boa segunda-feira a todos! Resolvi inovar neste início de semana e criei um quadrinho para expor um poema. Fiz um haikai sobre o silêncio. Como é bom poder dormir e escutar os animais da noite, o silêncio calmo e nada de música alta reverberando em minhas paredes. Espero que gostem e cliquem para ampliar!


quarta-feira, 25 de abril de 2012

Quadrinho: A amizade é bela!

O quadrinho enfoca uma experiência que minha mãe teve com uma amiga. Ela achou que a mulher era 100% à prova de falhas, até que precisou dela. Achei que ficaria divertido colocar esse tipo de situação, em um quadrinho, pois beira o humor negro que tanto gosto! Cliquem para aumentar!


terça-feira, 24 de abril de 2012

Poema: O vazio torna-se a inspiração!






Procuro algo que me inspire, que realize a motivação,
Difíceis letras, alma separada da mente e do coração,
Vazio estou para escrever,
O que dizer quando as palavras não te respondem? O que dizer?


É um momento no qual o escritor não produz,
Nada o seduz!
Não há luz!
Tal qual ouro que não reluz!


Mesmo nesse breu de criatividade,
Não se deve parar a atividade,
Torne o vazio de sentimento em palavras de expressão,
Faça disso sua inspiração.


As palavras saem lentas e preguiçosas,
Mas já formam um texto com lições prazerosas,
De inspiração, teimosia e persistência,
No momento em que a criatividade dá um pulo, uma latência.


Mesmo sem ter o que escrever,
O poema consegue sobreviver,
Se o poeta conseguir achar,
Inspiração no nada, no simples procurar.



COTIDIANO


    Estou escrevendo isso no domingo, mas vou programar o blog para atualizar com este texto somente na terça-feira. Como viram, foi um domingo sem muita inspiração, mas eu precisava atualizar e adiantar algumas tarefas, pois esta semana será tão cheia de atividades quanto a semana passada. Como não tenho a intenção de deixar o site parado como antes, resolvi programar várias atualizações. Espero que gostem desse texto!




segunda-feira, 23 de abril de 2012

Fate Zero e um estudo dos arquétipos heróicos!


FATE ZERO- HEROÍSMO E DIGNIDADE (Contêm SPOILERS)

O heroísmo retratado nos dois primeiros capítulos, segundo a visão de estudos à luz do heroísmo do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal!





    Nos dois primeiros capítulos de Fate Zero, nesta segunda temporada, vimos o trabalho em equipe dos envolvidos para exterminar uma ameaça em conjunto: Caster. Enlouquecido por uma sede de sangue, e crueldades além de qualquer limite, determinou-se o extermínio de Caster e de seu mestre. Com isso, observou-se o comportamento de diversos níveis heróicos em cena.


    Estudo de Helcio de Queiroz, divulgado no site Svhoong, com o título “Atos de Heroísmo” descreve as atitudes que definem um ato heroico no Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Tal estudo nos fornece material para a análise do comportamento dos personagens nestes dois primeiros capítulos de Fate Zero (segunda temporada).


    Antes disso, demonstremos mais sobre as classificações de Heróis, segundo o mestre em Letras- Eduardo de Araújo Carneiro- em Bravura, Glória e Imortalidade: O Heroísmo na História! Segundo o autor:


“Apesar das ‘mil faces’, o mito do herói, segundo Campbell (1988), é uma metáfora semelhante empregada nas diversas culturas. Os heróis têm ‘jornadas’ quase idênticas, passando por rituais de separação, iniciação e retorno. A explicação para tal semelhança, de acordo com o antropólogo, é que o mito é uma produção espontânea da psique ‘e se torna parte da vida cultural de um povo’”  (Eduardo Araújo: 2008: 93p)


    Mais à frente, ele cita os tipos mais frequentes de heróis encontrados em todas as culturas. Muitos estudiosos alegam que a imagem heróica é subjetiva e ligada a cultura de quem cria o arquétipo, então, insiro aqui os personagens de acordo com estas definições, embora saiba que, aos meus olhos, alguns aqui são vilões de fato. Entretanto, mesmo os vilões de Fate Zero possuem utilidade pública, pois até o Ryunosuke virou cartaz para promover a coleta de doações de sangue no Japão.




    Prossigo com o texto deixando minha opinião que nunca colocaria um bandido como um tipo heroico, pois acredito que heroísmo é “Virtude excepcional própria do herói. Qualidade do que é heróico. Fig. Arrojo, coragem, magnanimidade, bravura que leva a praticar ações extraordinárias”. (Dicionário) Mas sei que muitos consideram alguns vilões de Fate como heróis e conseguem embasamento para justificar estas alegações em estudos sobre a subjetividade na construção de figuras heróicas. Por isso, forçosamente os insiro nestas classificações.




    Então, aqui já entro, no seriado, com alguns exemplos do que se pode achar. O profeta (-), o revolucionário (Kariya Matô), o bandido (Ryunosuke), o músico (-), o poeta (Lancer), o presbítero (Kirei Kotomine), o gênio (Kiritsugu) e o político (Tokiomi Tosaka).



    Kariya entra como o revolucionário, pois, revoltando-se contra o destino de suas duas sobrinhas, aceita tomar o lugar de uma delas para enfrentar a batalha pelo Graal. Pelo estudo de Helcio de Queiroz, Kariya estaria enfrentando um fato nível 3: “excepcionais, como aqueles em que há riscos potenciais de vida (...) mas que exige medidas urgentes, sendo o tempo um dos grandes obstáculos; na verdade as condições de segurança são distorcidas e os profissionais têm como intenção realizar o salvamento a qualquer custo”. Mesmo sacrificando a própria vida, Kariya tenta salvar suas sobrinhas de um destino cruel. Um ato heroico em nível 3!



    Kirei Kotomine encaixou direito na definição da tese de Eduardo, pois é um padre que, por necessidade política e religiosa, faz um acordo com Tokiomi para uma melhor utilização de seus esforços em conquistar o Graal. Tokiomi, por sua vez, é o próprio político, realizando inúmeros acordos para manter o interesse e status de sua família. Ele vende, inclusive, as filhas para alcançar suas intenções. Isso causou a revolta de Kariya tornando-o o personagem revolucionário, ou seja, aquele que revolucionou a história, impedindo que uma de suas sobrinhas fosse usada durante a batalha.


    Lancer é o típico herói do romantismo medieval. Culto, poeta, bravo guerreiro e habilidoso, possui uma história de amor proibido por uma princesa, ao estilo do personagem sem nome que escrevo desde 2006 em meus contos do “Cavaleiro e a Princesa”. Eu o coloco como o "herói-poeta", pois sua história remete aos contos românticos medievais.


    Kiritsugu é o próprio gênio da história. Com habilidade e treinamento, este personagem é capaz de minimizar danos, mediante experiência e frieza. Segundo Helcio, ele agiria em nível 1 sempre: “induzido pela atividade, ou seja, a própria natureza profissional induz (...) um comportamento de risco a cada operação; este risco tem viés subjetivo, mas sua consistência é perfeitamente mensurável por um raciocínio lógico que determina padrões de conduta operacional para cada situação”. Risco calculado e ações planejadas o tornam o personagem heroico gênio deste seriado.


    Finalizo com as palavras do Mestre em Letras, pois acredito que Fate Zero, possivelmente, determinará estas pequenas linhas como seu objetivo final da narrativa, deste grande clássico dos seriados japoneses, e, ao ler este pequeno parágrafo, surge-me na mente a imagem da Saber:


“Para finalizar: o Herói não pode ser aquele que mata ou o responsável por ela, não há nobreza nenhuma nisso. O Herói deve ser aquele que resolve conflitos respeitando a vida. A bravura deve estar nos gestos de tolerância e não nos de eliminação do outro. No amor e não no ódio, na vida e não na morte, no altruísmo e não na xenofobia, no amor e não na violência. Na guerra não há vencedores no sentido pleno da palavra. Nela todos se tornam estúpidos, insanos e bárbaros. Esse modelo militar de heroísmo não serve.”







Fate Zero passa, liberado para o Brasil, de forma oficial, pelo Crunchyroll! Clique e assista!