sexta-feira, 6 de abril de 2012

Crunchyroll vale mesmo!


Crunchyroll- análise final





    A análise realizada teve a intenção de testar todas as funcionalidades disponíveis para o cliente. Ao longo de seis meses, como assinante, pude observar o funcionamento de muitos serviços, que aqui divido em: streaming tv (simulcast e legendas), arquivo, vendas por download, vendas com entrega, fórum, assistência técnica e cordialidade.

    Antes de iniciar o texto, com a análise, eu tenho que dizer que deixei, para esta sexta-feira santa, uma análise do portal de animês e doramas- Crunchyroll- pois esqueci que era sexta-feira santa. Podem jogar pedra, mas esqueci mesmo! J Deus perdoa! J Resolvi testar todas as funções, e experimentar o que pude, para conhecer melhor o portal e deixar para vocês, de bandeja, as funções observadas na versão “.com”. Iniciemos a análise!


1.0-       Streaming TV


    Aqui, minha verificação divide-se em dois momentos distintos, pois, ao iniciar o meu cadastro, minha velocidade de conexão era de 3Mb, sendo que, nos três últimos meses, consegui ampliar a velocidade para 20 Mb. Na época de conexão a 3Mb, o Crunchyroll oferecia streaming nas seguintes qualidades de vídeo: SD, 480p e 720p. Com a velocidade em 3Mb, era possível acompanhar a reprodução, sem problemas, em até 480. Já o 720p, eu tinha que usar uma dica[1], que será dada logo após, mas que acredito que todos conheçam, para acompanhar a reprodução.

     A época em que aumentei a velocidade para 20 Mb foi, coincidentemente, a época em que o Crunchyroll lançou a reprodução em 1080p. Atualmente, a reprodução do Crunchyroll se dá em SD, 480p, 720p e 1080p, ou seja, qualidade de DVD e Blu-ray alcançadas. Com 20Mb, e a dica que vou deixar, é possível acompanhar em todas as qualidades de reprodução. Como disse antes, a reprodução se dá de forma tranquila e só percebia saltos, na legenda e reprodução, quando meu antivírus rodava para verificar alguma coisa.

     Aqui também há duas formas de se assistir: com e sem propagandas. Verifiquei as duas formas. Os membros possuem a escolha de quatro planos (clique para conhecer), sendo que as versões pagas (All-Access, Anime Membership e Drama Membership) não usam propagandas durante a exibição do vídeo, já o non-members (plano gratuito e que não requer nem cadastro) possui espaço para propaganda dentro do vídeo. As três formas pagas garantem o simulcast, isto é, assistir o programa quase que simultaneamente com a exibição japonesa. Já a Non-Members possui um espaço maior de tempo entre a exibição no Japão e a exibição por streaming.

    Testei o simulcast e funcionou em todos os momentos, isto é, o vídeo estava disponível no horário marcado para se assistir. Legendas funcionando, vídeo com qualidade máxima. Realmente, um bom trabalho. Já em non-members, assisti uns onze capítulos de uma série (Poyopoyo). Para quem quer a qualidade de reprodução em, no mínimo, 480p, pode se decepcionar, pois ele só roda em SD. Todos os onze capítulos dessa saga não tiveram propaganda inserida, mas o espaço estava lá e, quando se atingia o tempo marcado para a reprodução da propaganda, o vídeo dava um pequeno, e rápido, salto para continuar a exibição. Assisti um capítulo de Naruto, sem a necessidade de cadastro, também em SD, e havia uma propaganda de um software, como moldura do play, isto é, uma espécie de propaganda em torno do vídeo. Se você não se importar com a qualidade de reprodução, pode assistir de graça, por exemplo, todos os 366 episódios de Bleach e de forma oficial. Com certeza, o autor te agradecerá! J

    Conclusão: em um único simulcast, as legendas não apareceram e, após algum tempo, as legendas foram inseridas. Percebi pequenas falhas de digitação em legendas de apenas três capítulos de séries diferentes, então, posso afirmar que, tanto o simulcast, quanto a reprodução gratuita, atingiram seu propósito, isto é, assisti aos vídeos de forma adequada em todos os momentos que desejei. Aliás, este é um ponto forte do sistema, pois ele serve também como uma grande biblioteca, aonde posso assistir minhas séries sem a necessidade de guardá-las em meu HD. Sei que um HD externo é barato, mas, não ter a necessidade de depender de um, já me agradou. Basta conectar, logar e assistir.


2.0-       Arquivo


    O Crunchyroll tem uma vasta biblioteca de animês. Na última vez que contei, eram 121 séries (ajude a contar bem aqui) divididas em séries grandes, como Bleach, Naruto, Sket Dance, Fairy Tail e em séries médias e pequenas. Uma biblioteca de títulos que impressiona. Aqui notei um problema, pois séries que estavam no catálogo, assim que me registrei, como Gosick, Lucky Star e Haruhi sumiram da lista. Perguntei ao pessoal do Crunchyroll o que houve com estas séries e, até o presente momento, nada me foi repassado. Só consegui assistir um único capítulo de Gosick e outro de Haruhi.  E este é um ponto pelo qual o fã que baixa animê, na internet, pode se fixar e não querer assistir a série pelo Crunchyroll. Também achei estranho ter séries como Natsume Yujin-cho e Fairy Tail pela metade. De Natsume só conseguimos assistir a última temporada, já de Fairy Tail do 121 em diante.

Conclusão: O catálogo é ótimo e todos os títulos, após um tempo, já estarão disponíveis para todos, sem a necessidade de cadastro. Peca pelo desaparecimento de algumas séries e pela exibição de outras pela metade.


3.0-       Vendas por Download


    O Crunchyroll, além de ser uma streaming tv, possui espaço para vendas de produtos. Por venda de produtos, e entrega por download, eu adquiri o software de quadrinhos Comipo (clique para ver).  Um serviço que me agradou bastante, pois é rápido e seguro. Inseri o número de cartão, durante o meu registro, e, quando necessito realizar alguma compra, não há a necessidade de inserir todos os dados novamente. Comprei o produto, baixei rapidamente, no mesmo dia, e já comecei a usar, após registrar. Não houve nenhum tipo de problemas e o software funciona perfeitamente. Fiquei muito contente com este resultado.


4.0-       Vendas com entrega- loja do Shinji


    Fui testar a compra de um dvd pela loja do Shinji. O sistema funciona por ofertas diárias, com preços diferenciados para quem é membro registrado. A oferta dura por um tempo determinado e os preços realmente são baixos. Comprei um DVD em janeiro. O sistema de compra mostrou-se eficiente e a compra ocorreu sem problemas. Infelizmente, o produto demorou mais que o prazo estipulado para chegar até minha casa, sendo que só consegui recebê-lo no sábado passado. E não possui código de rastreamento para acompanhar a remessa do produto. Mesmo assim, me foi entregue e o sistema de ajuda do portal sempre me notificou e se mostrou interessado na remessa.


5.0-       Fórum


    Ainda dominado pelo inglês, o fórum do Crunchyroll funciona bem e há diversos moderadores. O fórum também é usado para divulgar matérias referentes ao portal, como novas temporadas que estão chegando, ou manifestações que serão lançadas. O pessoal, de maneira geral, é cordial e sabe expressar uma ideia de maneira livre, mas eu dei azar. Fui experimentar uma única postagem e, no dia seguinte, recebi mensagem, em minha caixa postal, de outro usuário, com os seguintes dizeres: “You’re 36? GET A LIFE!” Mas nada que tenha gerado uma discussão mais aprofundada. Coloquei a mensagem no lixo e bloqueei o usuário. Pronto, resolvido o problema. Então, se seu inglês estiver afiado, e o Crunchyroll não lançar uma versão em português, sinta-se à vontade para postar, mas, cuidado, pois sempre existem trolls.
  

6.0-       Assistência técnica e cordialidade


    Este é um ponto alto do Crunchyroll, pois seus membros são cordiais. Precisei perguntar algumas coisas, precisei de ajuda em alguns assuntos e sempre me trataram com respeito e dignidade. Todas as minhas mensagens foram respondidas dentro do prazo estipulado, em inglês, e de maneira sempre atenciosa e cordial. Estão de parabéns!



     Qual a conclusão que posso chegar? O portal é uma ótima forma de divulgar e distribuir conteúdo em animês e doramas. Além do que foi analisado, o Crunchyroll ainda possui uma área para divulgação de notícias, releases e tem sempre algum assunto interessante em pauta. Aconselho uma passadinha por lá e torço pela chegada da versão em português.

     Notem que analisei o Crunchyroll antes de saírem às legendas em português, ou a versão brasileira do mesmo. Todos estes fatores podem alterar o que aqui foi dito e, por isso, alguma perguntas forma lançadas para o pessoal do portal, assim como lancei as mesmas perguntas para o e-mail da assessoria da JBC, mas até o fechamento desta análise, não recebi nenhuma resposta.

Conclusão Final: Não é perfeito, mas é um ótimo esforço! Nota 8,0!


[1] Quando o vídeo começar a reproduzir, dê uma pausa, por alguns instantes, que isso ajuda a reprodução correr mais suave e sem saltos. Após isso, clique no play novamente. Como no Youtube.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Poema de Páscoa e um recado!


Cristo





Cristo é o bem,
Aquele que nos amou,
Um amor real.


COTIDIANO

Na sexta-feira, estou comprometido em analisar o Crunchyroll, por isso, celebro a Páscoa com este haikai (5-7-5).  Boa Páscoa a todos! 

Recado: toda manhã, quando venho verificar o site, ele está alterado, isto é, os links de cada postagem direcionam para páginas que não são do site. Peço perdão pelo inconveniente e já estou tomando medidas para resolver isso. Obrigado! 

terça-feira, 3 de abril de 2012

Inspiração somente germina com trabalho!


A inspiração


Que a inspiração chegue não depende de mim. A única coisa que posso fazer é garantir que ela me encontre trabalhando.” (Pablo Picasso)






    Como se dá o processo de inspiração? Está pergunta não é difícil de responder, como as demais que respondi sobre a questão autoral. Pode ler aqui algumas “Noções Básicas para se escrever um Livro”. A inspiração, segundo muitos autores, é o que menos influencia a produção autoral, seja textos, canções ou qualquer outra obra.



Devíamos ser ensinados a não esperar por inspiração para começar algo. Ação sempre gera inspiração. Inspiração raramente gera ação.” (Frank Tibolt)



    Eu concordo com estes dois grandes nomes. O que estas frases têm em comum?  Elas indicam que o trabalho inicia-se antes da inspiração chegar. Algumas pessoas já me disseram que não tem coragem de escrever um livro, ou qualquer obra artística, porque lhes falta inspiração. Entretanto, inspiração não é algo que lhe caia na cabeça, tal qual a maçã de Newton, ou seja, ela necessita ser trabalhada.


    Lembram do que escrevi no meu texto “A escrita não é um ato isolado”?   Que, ao escrevermos algo, estamos dando vida ao interior. Um interior moldado por outras pessoas, ou seja, outras vozes (palavras) que falam através de você. Ao ler um texto, e colocar no papel alguma palavra, você está abraçando aquele autor, dando voz às palavras que saíram do coração dele? Pois isso é uma espécie de inspiração.


    Pronto, o mistério está revelado. Mesmo muitas pessoas não tendo consciência disso, a inspiração vem, muitas vezes, do exterior que, ao sofrer introspecção, gera na mente do autor um resultado positivo ou negativo. Este resultado será a primeira semente a ser trabalhada para se criar uma obra.


“Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.” (George Bernard Shaw)


    E a autora de Frankenstein (Mary Shelley) relatou que a inspiração para o livro se deu devido a um pesadelo da autora, quando a mesma tinha apenas 19 anos. É como nos alertou Carl Jung que “dentro de cada um de nós há um outro que não conhecemos. Ele fala conosco por meio dos sonhos." Ficou meio esquizofrênico o texto não é? Mas o sentido geral é este: a inspiração é um reflexo do que a sua mente interpreta, e processa, como sua realidade e manifesta-se de inúmeras maneiras, ora como sonhos, como ideias ou outros processos mentais dos mais diversos.


    Um simples passeio de trem fez Einstein formular uma das bases de sua teoria, assim como um pesadelo ajudou a formar a ideia central de um dos mais incríveis livros de terror já criados, ou seja, a inspiração aqui sempre foi a projeção de uma ideia, através de um elemento externo, mas sempre um trabalho mental. Einstein estava sempre raciocinando, mesmo quando efetuava trabalhos rotineiros, assim como a mente continua trabalhando mesmo quando dormimos.


    Posso encerrar escrevendo que a inspiração não será um “anjo” que descerá dos Céus lhe entregando um pergaminho com a grande ideia, mas que a inspiração já está em você. Basta trabalhar o texto, conhecer as regras, visualizar o mercado e, acima de tudo, sentir o que você está escrevendo. Para o meu livro “Apocalipse: Brasília”, ainda não publicado, a inspiração se deu pela motivação religiosa da época, aliada à paixão pelos desenhos japoneses e com boas doses de cenas de filmes de ação. Peguei todos estes fatores externos, digeri cada um deles e moldei o miolo conforme escrevi em “noções básicas para escrever um texto”, então, exercitei elementos exteriores e a inspiração pegou-me trabalhando. Se é um bom livro, somente posso responder após publicar! J Em geral é isso, uma criação é sempre inspiração aliada ao trabalho, e ao desenvolvimento interior, que reflete como aquela ideia exterior se projetou no espírito do criador. 

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Que complicado definir o amor!


Definir o amor!




Amar não é apenas vivência,
Nem sequer podemos falar em experiência,
Não há como definir o que se sente,
Nem instruções podemos dar e, quem o dá, mente!


Mentir é um verbo forte,
Talvez tenha exagerado, uma má sorte!
Entretanto, amar é único para cada pessoa, para cada coração.
Não há como descrever, para outros, o sentimento que sentirão.


Podemos definir e expressar o que sentimos,
Como o amor influenciou nosso interior,
Para tentar dar luz a esta questão, então pedimos:
Descreva o seu amor.


Cada um descreverá como quiser,
“Borboletas na barriga”, “frio na espinha”, ou “tonteiras”,
Tudo subjetivo. Tudo verdadeiro! Mas, não podemos assim o amor vender!
Porque os que não o sentem assim dirão: “Tudo um monte de asneiras”.


Descrever o amor é uma tarefa difícil, é quase uma questão de fé.
Não há uma única resposta, assim diz o bom senso.
Podemos responder vagamente, continuamente: amar é...
E, algum dia, entraremos em um consenso.


domingo, 1 de abril de 2012

Quadrinho: Piada de 1º de abril!

Vocês sabem que o Kazu é uma espécie de "alter-ego" que criei para representar minha personalidade nestes quadrinhos. Hoje, é o primeiro passo para torná-lo mais independente. Como possuo uma fé, o fiz mais distante deste caminho para fazê-lo se distanciar de mim nesse sentido e poder criar com ele com mais independência. Com isso, ao criar elementos para o Kazu, já não preciso mais perguntar o que eu faria, ou como eu agiria.  Entretanto, o Kazuki ainda terá elementos que me representem. Espero que gostem do quadrinho e fica a pergunta para uma próxima piada: "Porque o Kazu estava indo à igreja?" Vocês respondem!