sábado, 31 de março de 2012

Eita, Brasil bom!


Brasil





Bucolismo nato seus habitantes possuem,
Reconhecendo sempre a força de seu povo,
Admirando a todos os outros povos por suas qualidades e paixões,
Samba, carreteiro, futebol, livros e mulher bonita,
Incrível como a musicalidade encanta desde a época de Jobim ou até antes
Liberdades respeitadas, nosso povo cresce!

Eita, Brasil bom! 

sexta-feira, 30 de março de 2012

Quadrinho: Sexta-feira 13

Vi essa frase na internet e, imediatamente, coloquei estes dois para trabalhar em uma piada. O próximo quadrinho será continuação dos quadrinhos sobre a universidade. Espero que gostem desse aqui! Cliquem para ampliar!



quinta-feira, 29 de março de 2012

Troféu Surpresa da Temporada: Poyopoyo


Poyopoyo





    Após resenhar Brave 10, vou fazer algo que não costumo. Pensei comigo, o que me surpreendeu nesta temporada? Qual série foi uma grata surpresa? Na temporada passada, fiquei imensamente surpreso com a qualidade de um roteiro da série The Idolm@ster e que rendeu três avaliações no site. Para hoje, a série “Surpresa da Temporada” fica a cargo do curtíssimo e engraçado Poyopoyo.


    Poyopoyo é um mangá de Ru Tatuki e que atualmente possui 10 volumes editados pela Takeshobo. O animê já possui mais de 12 episódios, porque já foi renovado para uma segunda temporada. Conta a história de um gatinho, em forma esférica, chamado Poyo, que foi adotado por uma família. Vou confessar que, como não conhecia o mangá, o traço do animê, assim como o tempo de duração de cada episódio (cerca de 2 minutos e meio), me fizeram assisti-lo por último. Ainda bem! Pois foi uma grata surpresa!





    Poyopoyo é um animê tranquilo, com piadas curtas e rápidas. O traço e a produção do desenho, em estilo quase cartunesco, nos fazem ter a sensação de calma e provocam ainda mais riso através de um roteiro simples, mas muito bem bolado (sem trocadilhos com o Poyo heheh). As piadas me acertaram em cheio, porque são verdadeiras para quem possui gatos. Eu tenho três gatos comigo. Uma das piadas, por exemplo, foi a dona do Poyo (Moe) provar a comida dos gatos, em segredo. Já fiz isso! Eu caí na gargalhada! O comportamento dos felinos também está idêntico ao que nós vemos aqui em casa, como o Poyo arranhando a janela do quarto da Moe para entrar e, não conseguindo acordá-la, indo para a janela do irmão dela (Hide). Eu sei o que é isso! :D Ontem mesmo, o Hércules estava deitado na minha cama, enquanto eu lia um livro, quando ele ouviu minha mãe abrir o saquinho de ração. Ele pulou da cama com imensa velocidade, tal qual Poyo no primeiro capítulo. Enfim, quem cuida e conhece gatos vai gargalhar com as piadas ali apresentadas. O animê é curtinho e apresenta também a vida dos amigos do Hide que também possuem animais.






    Uma série nota 10 e que não perdeu o pique das piadas, criou uma sequência ótima de eventos e acertou na produção. Podem assistir no Crunchyroll (cliquem) se quiserem!



quarta-feira, 28 de março de 2012

Brave 10


Brave 10 – análise final da série
Possui spoilers!!






    Após realizar a análise dos 4 primeiros capítulos, sempre retorno para realizar a crítica final ao animê que escolhi resenhar. Na análise dos 4 primeiros capítulos de Brave 10, notei uma grande potencialidade no roteiro, que não se confirmou ao final da temporada e da série. Posso comparar Brave 10 a um maratonista que não se preparou adequadamente para uma prova de longa distância. Mesmo assim foi divertido. Explico melhor à seguir.


    No Anime News Network encontrei que Brave 10 (mangá) é um seinen, ou seja, o animê deveria ter uma história mais madura e diálogos mais bem construídos. Ao assistir os 4 primeiros capítulos, notei que este potencial existia. Poderiam construir um enredo como o que foi mostrado em Basilisk ou Samurai X, isto é, aprofundando a narrativa nos elementos históricos que ali estavam sendo contados. E o animê começou assim. Exemplificando, Brave 10 (animê) é como um maratonista dando tudo de si no início da prova.


    Após o 4° episódio, a saga começou a se perder. O foco se volta para casas de banho, festas, elementos cômicos ruins, e os diálogos começam a se mostrar mais infantis. A animação parece ter dado uma caída nesse sentido também. Igual a um maratonista que começa a perder o fôlego, no meio da prova, e passa a notar que está sendo ultrapassado por outros.


    O enredo começa a ter foco novamente na história central, ou seja, no objetivo da formação dos 10 bravos, após o 9° capítulo e segue adiante, mas, mesmo assim, apresenta problemas. Os 10 bravos ficaram sem sentido no final, porque nenhum deles foi de ajuda quando Saizou teve que resgatar Isanami. Afinal, cada bravo simbolizava um elemento que equilibraria novamente a ordem, então, era de se esperar que todos fossem responsáveis pelo resgate da Isanami, entretanto, isso ficou a cargo do Saizou. Os outros simplesmente tiveram que sobreviver ao ataque dos ninjas de Hanzo. Brave 10 dá uma leve evolução, idêntico ao maratonista que vê a linha de chegada e dá um último impulso na esperança de conseguir cruzar a linha de chegada antes do último esportista.


    A conclusão que posso chegar é que o animê perdeu o fôlego. Dou nota 5,0 porque, ainda assim, foi um passatempo divertido. A animação foi boa.  

  

terça-feira, 27 de março de 2012

Quadrinho: Enquanto isso...

Eu vou aproveitar o quadrinho sobre a universidade, no qual fiz piada ao descobrir que o prédio, hoje ocupado por ela, era um hospício, como pano de fundo para uma sequência de quadrinhos de humor sobre o tema.  Já sabem que o Kazuki é inspirado em mim e que, como eu, é distraído. Pois em 96, eu fui cumprimentar uma pessoa, que eu não conhecia, no corredor de uma faculdade e, passando por ela, eu me virei para perguntar algo. Quando me virei... surpresa! Aí está o quadrinho! :)  Já aconteceu com vocês? KKKK


segunda-feira, 26 de março de 2012

Faça Elevar!


Faça elevar!



    O brilho de um coração iluminado, pela força do espírito, é chama ardente que eleva a alma à dimensões elevadas. O brilho da determinação é fogo que consome e que se alimenta de sombras, reduzindo-as a menos que uma leve incerteza. Incerteza?  Incerteza não há, pois o brilho, também conhecido como Fé, é como um dragão dourado que se eleva e ilumina como torre alta. Torre alta que vigia, com olhos seguros, os horizontes de seu destino. Armaduras douradas, espíritos nobres e dourados- fé- chama ardente e determinação são armas para se vencer neste mundo, construindo um exército de guerreiros pelo universo a guiar os homens. Tudo isso pela deusa da sabedoria e da guerra! Tudo isso por amor!


COTIDIANO

Resolvi reciclar este poema, escrito para o blog em 24/06/2011, quando o mesmo estava hospedado no UOL. Achei interessante reciclar, uma vez que o mesmo foi inspirado em um animê de sucesso. Acho que a imagem acima já diz tudo. Reciclei também este poema, porque tinha que atualizar a página e acho que não terei tempo de criar nada novo hoje. ^__^"