Pular para o conteúdo principal

Brave 10- análise dos 4 primeiros capítulos

Brave 10



Análise dos 4 primeiros episódios






Entendendo o enredo e corrigindo algumas informações



     Antes de iniciar, vamos a uma pequena explicação de termos. Segundo o pessoal do Nipop, shounen “é o nome dado às séries de mangás/animes com temáticas voltadas ao público jovem masculino. Geralmente são histórias cheias de ação, com lutas, esportes e coisas do tipo”. Já Seinen, segundo a Wikipedia, “significa "homem jovem" no Japão, é a definição dada aos mangás e animês voltados para o público masculino entre os 20 a 40 anos”.  Uma diferença entre estes gêneros é que o Seinen utiliza-se de uma linguagem universitária em seus diálogos, enquanto o shounen usa uma linguagem mais simples. Segundo a Wikipedfia, outra diferença “está nos temas e no conteúdo maduro. Algumas histórias de Seinen possuem personagens em idade típica de Shonen, como personagens em idade escolar, mas os temas são mais maduros, geralmente contendo sexo e violência, que não são adequados em revistas infanto-juvenis”. Alguns sites creditam que Brave 10 seria um shounen, mas ele é um seinen.



A História:



    O seinen é baseado no mangá de Kairi Shimotsuki e conta a história da sacerdotisa Isanami que tem seu templo, em Izumo, destruído por causa de uma pérola que dizem ter o poder dos deuses (Kushimitama). O xogum Ieyasu Tokugawa deseja esta pérola para si. Ela foi instruída por um monge a procurar abrigo no castelo do senhor feudal Yukimura Sanada. Isanami acaba conhecendo o ninja sem mestre Saizou Kirigakure enquanto fugia para sobreviver. Sanada vê nisso a chance de juntar 10 bravos guerreiros para poder mudar a história.





O animê- o que é bom, regular e ruim.



    BOM: A animação tem um traço atraente, com cores fortes e cenários bem elaborados. A animação de movimentos é muito boa, dando às sequências de lutas o impacto visual que devem ter. As cenas de luta lembram muitos games de ninjas, com espetaculares golpes ao estilo Samurai Spirits. A escolha pelos trajes usados é interessante, pois mistura trajes de época com roupas mais modernas. Isso serviu até para um momento cômico, quando Kakei critica as roupas de Isanami, não considerando-as adequadas a uma sacerdotisa. Ela simplesmente o ignora. A dublagem de todos os personagens está bem feita, com exceção da voz do sádico Yuri.



    REGULAR: Já a música de abertura (Shōryō Hirai" (精霊飛来) de Daisuke Ono e Tetsuya Kakihara) quase chegou lá, não sendo uma escolha adequada. Se fosse um chute a gol, eu diria que o chute bateu na trave e no goleiro, mas não entrou! Foi quase bem sucedida.



     RUIM: Yuri que me dá nos nervos. A voz é distorcida. É irritante ouvir. Ele é uma mistura inadequada de Akabane (Get Backers) com o Shun (Cavaleiros). É um personagem que eu não sei para onde vai.  



Enredo



    É um seinen muito interessante. Ele mistura fatos que realmente aconteceram, isto é, fatos históricos, com a magia que um mangá deve ter. Algo que já aconteceu com Samurai X e Basilisk. Samurai X fez uma grande aula de história, nos contando elementos históricos do passado japonês e uma crítica social interessante. Espero algo semelhante para este animê.


    O enredo ainda nos leva a uma situação que não vemos muito hoje em dia: a donzela em perigo e o cavaleiro (mesmo que relutante) a salvá-la. Também conseguimos notar neste animê a luta entre os clãs de ninjas de Iga e Kouga (coisa que vimos bastante, e foi muito bem explicado, em Basilisk). Isanami parece ser inspirada na deusa Izanami e, como possui o poder dos deuses através da pedra Kushimitama, pode servir de peça interessante para o desenrolar da trama. Aliás, Isanami é uma personagem meio deslocada. Ela gruda no Saizou mais que velcro em tecido. Espero que expliquem melhor essa sensação que ela sente ao estar perto do ninja.




[caption id="attachment_501" align="aligncenter" width="300" caption="Cena de Brave 10- Isanami"]Isanami prestes a revelar um segredo de sua personalidade[/caption]


Por enquanto, Brave 10 é um seinen que vou continuar assistindo e ver aonde o enredo vai parar. Até agora, nota 7,5 para o animê.







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…