sábado, 5 de novembro de 2011

Análise do filme Naruto- Will of Fire

Naruto Shippuden - Movie 6 : The Will of Fire Still Burns

 

[caption id="attachment_211" align="alignleft" width="250" caption="Capa do DVD vendido na Best Buy Anime"][/caption]

Este filme é uma homenagem aos 10 anos do mangá. Uma amiga minha fez uma resenha ótima sobre o filme, sua qualidade técnica e me convidou para assistir e dar minha opinião. Aceitei o convite e esta é minha análise que, espero, possa contribuir com a análise feita por ela. Deixe de ler aqui, caso queira, pois o meu texto possui alguns spoilers!!

 

A questão técnica foi muito bem elaborada na análise do blog Felis Catus e, como ela é desenhista, deixo estas questões com ela e concordo com o que está escrito no blog. Vou me concentrar em elementos do enredo do filme.

 

Este filme basicamente fala sobre a “will of fire”, que é uma determinação que cada shinobi possui e que pode estar dentro da ética e regras de cada vila. Essa “will of fire” é determinante para sabermos como um dos ninjas agirá dentro do enredo da série. Um personagem, cujo o lema entre em conflito com algum desfecho da ação, com certeza, age de modo a sanar este conflito. Aqui, no caso do Naruto é simples, pois o lema dele, neste filme, é demonstrado com flashbacks da primeira temporada da série clássica e ele passa o filme todo lutando para demonstrar suas convicções.

 

Aliás, eu já citei que um herói, de qualquer animê de ação, possui falhas que demonstram sua vulnerabilidade e o torna mais próximo e mais real aos olhos do espectador. Se estas falhas prejudicam o sucesso do herói, o enredo torna-se mais incerto e a expectativa pelo sucesso do personagem aumenta, assim como a ansiedade e a dúvida de quem assiste. Isso é ótimo para garantir que fiquemos grudados na cadeira, esperando para ver o que foi decidido e como foi decidido. Naruto possui diversas falhas, durante a série (clássica e shippuden), que deixaram esse filme mais tenso, pois não sabia como o enredo se deslocaria. Por exemplo, Naruto prometeu trazer Sasuke de volta e fracassou duas vezes. No filme, Naruto promete trazer Kakashi de volta. Sakura se pergunta se, desta vez, ele conseguiria cumprir a promessa, uma vez que havia falhado nas outras vezes e, confesso, também me perguntei isso. Ponto para o roteiro que jogou bem com essa questão e me deixou em dúvida até o último minuto. Inclusive, até o próprio Naruto, já no final, desabafou à respeito dessa situação, quando percebeu que poderia ter falhado.

 

Voltando ao “will of fire”, achei interessante o conflito de lemas entre os ninjas da Aldeia da Folha. Deixou a situação tensa, mas serviu para demonstrar a mensagem principal do filme que, aos meus olhos, é a confiança que se deve ter nos amigos, nunca abandoná-los. O enredo ainda bebe de outras fontes, como as quimeras de Fullmetal Alchemist, ou as regras para se usar o chakra, como as regras que o Kurapika (Hunter X Hunter) usou para fortalecer o seu Nem. No geral, foi um filme bem feito e gostei de assisti-lo!

 

Informações:

Podem comprar o filme, por apenas 5,98 dólares no Best Buy Anime! E podem acompanhar a série Shippuden de graça, e oficialmente, pelo Crunchyroll.

Clipes para o sábado- Ave Maria, Shippuden, Freak Show e My First Kiss!

Será um experimento! Eu deixei o fanfic de Death Note de lado, pois foi o grupo de posts menos acessado do blog. Então, vou substituir por clipes com músicas e imagens que eu gosto! Vamos ver se vai dar certo! Já antecipo que pode haver um problema- o youtube, ou o criador do vídeo, podem retirar o mesmo sem aviso. Se acontecer e eu perceber, vou tentar substituir. Vamos lá, aos clipes de hoje!

Para começar bem o dia, um violino e uma oração:







Agora, com toda a calma.... ACOOORRRRRDAAAAAAAAAA!!!!!!!!







Acordou? Vamos relembrar o primeiro beijo!!!







E, para terminar, uma j-song muito boa embora o clipe não seja bom!







Bom dia e um bom sábado!!!!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Atrações nacionais e internacionais da 30ª Feira do Livro de Brasília

FEIRA DO LIVRO DE BRASÍLIA



A 30ª edição da Feira do Livro de Brasília já nos revela algumas de suas atrações para o evento que ocorrerá de 11 a 20 de novembro de 2011, no pavilhão ExpoBrasília, no Parque da Cidade. Cito algumas atrações, mas vocês podem ver todas as atrações no site do evento- Feira do Livro de Brasília.

 

As atrações nacionais já estão confirmadas e, dentre elas, eu cito aqui algumas que podem interessar aos leitores deste blog:

Thalita Rebouças é conhecida pela série de livros “Fala sério, ...” e, segundo o site do evento, “nascida no Rio de Janeiro, Thalita Rebouças é a mais nova sensação literária entre adolescentes. Jornalista de profissão, já vendeu mais de 1 milhão de livros para jovens brasileiros e portugueses. Seus livros estão sendo traduzidos para países da América Latina e da Europa”.

 

Laura Muller é “natural de Juiz de Fora (MG), é jornalista, psicóloga clínica, educadora sexual e palestrante. Atualmente sua atuação profissional se divide nos atendimentos psicológicos, no Altas Horas, nas colunas, além das palestras por todo o Brasil com temas relacionados a sexualidade e relacionamentos”. Ela escreveu o livro 500 perguntas sobre sexo.

 

Jonas Ribeiro, “é brasileiro, formado em Língua e Literatura Portuguesas pela PUC/SP. Além de ilustrar e escrever, participa de projetos de incentivo à leitura e percorre escolas contanto histórias, ministrando cursos e divulgando seus livros. Publicou 100 livros de literatura infanto-juvenil”. O escritor possui um site bacana. Clique para conhecer!

 

Já as atrações internacionais, para abrilhantar ainda mais esse evento são muitas. Dentre as atrações, eu cito:

 

Philippe Davaine teve seu “primeiro livro ilustrado publicado em 1980 pela Editora Le Farandole, “Drôle de tigre”, sobre um texto de Lenny Werneck. Em seguida, mais 39 livros serão publicados, entre álbuns e romances, aventuras em cores ou em preto & branco, carvão ou pastel seco, tentar encontrar aquele ‘momento em que a obra se coloca em movimento, com graça’, diversos trabalhos gráficos e cenográficos de exposições vêm florir o caminho”

 

Joe Hayes é autor de Ghost Fever, com o qual ganhou o prêmio Texas Bluebonnet Award. É autor de 44 livros bilíngues, ou seja, em espanhol e inglês. Para acessar mais sobre este autor, clique aqui e aqui!

 

As atrações já prometem diversão a quem for no evento. Eu mesmo terei dois livros meus expostos na feira, que são: Sob a Luz dos Ensinamentos Bíblicos e Outros Papos e suas Memórias no estande do Sindescritores. Procurem um exemplar lá e me façam feliz! J

O Jegue- ótimos quadrinhos!

Quem gosta de um bom site de humor e quadrinhos pode acessar o Jegue. Existem piadas ótimas, pegadinhas e algumas piadas um pouco mais pesadas. O site é ótimo para sentar e relaxar após um dia de trabalho!

 

O Jegue

Poema: Alegria

ALEGRIA



Alegria que invade meu coração é a certeza de que não estamos sozinhos. A alegria que invade meu coração é a certeza de que esta solidão aparente, que parece real, simplesmente desaparece ao se fechar os olhos e relembrar aqueles dias. A alegria que invade meu coração é saber que a vida não se limita a uma rua de mão única, mas assemelha-se a um grande viaduto, com inúmeras entradas e saídas, retornos e vias. A alegria é a certeza de que somos abraçados, queridos, amados por muitos que, um dia, cruzaram este viaduto conosco. É a certeza de que as escolhas aqui feitas, a escolha de amar e ser amado, de ajudar mais que ser ajudado, de me entregar ao ágape, foram corretas. A alegria de que não estamos sós não vem da presença física, mas da sensação de um abraço, que envolve com um perfume, e nos remete à lembrança de que o amor existe. A alegria é isso, uma lágrima de luz que brota em meio às trevas da solidão irreal e que rega minha vida com o sabor da felicidade.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Quadrinho: Um mico para sair de outro!

[caption id="attachment_193" align="aligncenter" width="750" caption="Por: Patrick Raymundo de Moraes"][/caption]

E hoje eu passei por um aperto semelhante. Estava em uma fila para ser atendido e o rapaz da frente não se aguentava um minuto (sim, falo de um pum. Um não, vários!) Toda hora vinha aquele cheiro ruim. Para solucionar o problema, eu colocava álcool gel na minha mão, para evitar o cheiro. Cheguei em casa e pensei em colocar a Minami na mesma situação, para ver como ela se comportaria. Foi assim! :)

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Seto Matsuri

SETO MATSURI

 

[caption id="attachment_190" align="alignleft" width="620" caption="E Seto foi um revolucionário!"][/caption]A obra de um mestre é a sua eternidade em vida. A obra nunca morre e nos leva a sensações e dimensões diferentes das quais estamos acostumados. Por isso um artista nunca morre, pois deixa um legado de beleza e expressões que afirmam sempre: eu sou! Cláudio Seto, então, É um artista incrível que nos deixou obras fantásticas. O blog informa que “O Seto Matsuri acontecerá dias 05 e 06 de novembro de 2011 (sábado e domingo) no MON (Museu Oscar Niemeyer), das 11h às 22h – e a entrada será franca! O evento é parte da Corrente Cultural de Curitiba e conta com o apoio da Prefeitura de Curitiba, da Fundação Cultural de Curitiba, da Gráfica Mansão, da Comunidade Nippo-brasileira de Curitiba, entre outros. A realização do evento ficou por conta de uma parceria entre o Centro Cultural Tomodachi, o Tributo a Claudio Seto e Handa Eventos.”

 

Mais informações:

Website do evento

Clique aqui para conhecer mais de Cláudio Seto

XI PRÊMIO CULTURA NACIONAL

XI PRÊMIO CULTURA NACIONAL

 

[caption id="attachment_187" align="alignleft" width="188" caption="Capa da antologia do IX Prêmio Cultura Nacional. Troféu e medalha expostos!"][/caption]

O prêmio é uma homenagem aos escritores-membros da Real Academia de Letras do Brasil que se destacaram na difusão da arte, da qualidade de seus textos e por sua paixão pelas letras. A entrega do prêmio acontece todo ano, desde 2001, na cidade de São Paulo. Este ano o prêmio será entregue no auditório Prestes Maia da Câmara de Vereadores da Cidade de São Paulo- viaduto Jacareí, 100, 1º andar- no dia 24 de novembro de 2011, às 19h30. A cerimônia contará com a presença dos laureados escritores que receberão o Colar Master Literary, o diploma de participação da antologia referente à premiação, o tradicional troféu e 12 exemplares da antologia comemorativa. Como membro da Real Academia de Letras, participei das premiações nos anos de 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2011 e deixo agora a neutralidade para dizer que me orgulho de cada medalha recebida e de cada página escrita nestas antologias, pois são chances de mostrar nossos pensamentos e paixões, além de  deixar uma marca nossa, em tinta, para a posteridade.

 

Mais informações:

Real Academia de Letras, Rua Dom Pedro II, 903/203, Porto Alegre (RS). Cep 90550-142. Telefone: (51) 3342-9806

Quadrinho: Chefes nunca estão satisfeitos!

[caption id="attachment_183" align="aligncenter" width="1024" caption="Por Patrick Raymundo de Moraes"][/caption]

QUADRINHO

Afinal, o que querem os chefes? :)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

A vida é um elo entre razão e fé!




[caption id="attachment_180" align="alignleft" width="300" caption="pintado com grande sensibilidade por Rita"][/caption]

 


A vida é um elo constante de escolhas. Estas escolhas constroem o nosso alcance, ou seja, são as nossas únicas limitações para esta vida. Escolher ter fé, aliada a razão, foi a escolha que fiz. A fé sem razão é louca, mas a razão sem fé é como um carro sem rodas. Porém, aliá-las não é fácil. É um constante jogo de equilíbrio, que precisamos sempre nivelar. Antes de continuar, vou dizer o que entendo por cada uma destas palavras.


 


Fé não é apenas uma crença religiosa para mim, mas uma convicção, uma atitude mental, embasada em conhecimento prévio, e que provoca uma revolução interna, que te dá o sentimento de que algo tem fundamento. Este algo, embasado pelo fundamento da fé, não é necessariamente uma convicção religiosa. Pode ser uma convicção ética, profissional, política ou familiar. Já a razão é a luz do conhecimento lógico que te dá, através de procedimentos mentais, a certeza de que algo tem fundamento. Ambas são próximas. Uma reage aos sentimentos (instinto) e a outra reage à mentalização racional.


 


“Uma visão da natureza humana que ignore o poder das emoções é lamentavelmente míope. (...) Para o bem ou para o mal, quando são as emoções que dominam, o intelecto não pode nos conduzir a lugar nenhum” (Daniel Goleman, Phd, 18:1995).


 


E, de fato, acredito que deve haver essa simbiose para que fé e razão te guiem por caminhos certos. Se, em teu coração, há a certeza lógica que algo deve ser feito, sobre determinado assunto, mas lhe falta a fé de que pode realizar este algo, é como um carro sem rodas, pois não consegue chegar a lugar nenhum. Mas a fé, sem a razão, é como um cego que se joga em um precipício, crendo que há um jardim amplo à sua espera. É necessário aliar ambas para se ter um elo forte de decisões. A fé representa as rodas do carro, orientado pelo motorista racional, que vão aderindo ao caminho/destino que te levará às suas escolhas.


 


Mas a fé e a razão podem se iludir. Ambas podem ser enganadas. Daí o perigo de não alimentar direito a mente, que equilibra estes dois pratos (fé e razão). É necessário um estudo constante para alimentar a razão e uma vivência constante, em seu caminho escolhido, para alimentar a fé. Então teremos uma corrente forte e elos sadios que te levarão a um caminho de luz intelectual, familiar e social.


 


“A verdadeira salvação consiste em descobrir o homem verdadeiro, perfeito e livre, através do conhecimento da verdade” (texto de Masaharu Taniguchi compilado por Kamino Kusumoto, 68:2010).


 


E a salvação pregada por este texto acima é a iluminação interior do homem racional, através do conhecimento (estudo), que o leva a um estado pleno e sereno. É uma salvação no agora, no aqui, e não em uma posterior vida. “O Paraíso é aqui”, já dizia um preletor da Seicho-No-Ie, aliando sua fé ao conhecimento que adquiriu. É uma salvação que começa aqui, através do ensino, da ética, da leitura, do amor, da cordialidade, da pesquisa e, enfim, de todo processo racional humano que é convertido em prática diária saudável. Difere-se um pouco do pensamento iluminista, pois, como escrevi antes, a razão e a emoção são faces da mesma moeda e devem ser aliadas para o perfeito conhecimento do “Eu” que regerá a vida. Tenhamos, então, um longo alcance ao associar estas convicções.