Pular para o conteúdo principal

Exposição em Ilha Solteira homenageia Nagado

PROFISSÃO: DESENHISTA

 

Exposição em Ilha Solteira, São Paulo, homenageia o trabalho de Alexandre Nagado (40). Nagado é um profissional completo, atuando em diversas áreas como quadrinhista, escritor, pesquisador, palestrante, redator e roteirista. O evento ocorrerá entre os dias 10 a 15 de dezembro de 2011, no Museu e Sala de Convenções “Nara Lúcia Nonato”- Ilha Solteira. A abertura da exposição se dará no dia 09 de dezembro, sexta-feira, às 20h00.

 

Sobre a Exposição:

 

A exposição se dará por painéis, “Os painéis da exposição terão comentários sobre bastidores, materiais utilizados e várias amostras de rascunhos feitos antes da finalização, sendo a maioria de trabalhos publicados sob encomenda. Será uma exposição didática, inédita na cidade.

 

Especializado no uso de quadrinhos para fins educativos e de comunicação interna, é autor do mini-gibi institucional Acontece na Cultura, projeto que usa os quadrinhos para divulgar a intensa agitação cultural de Ilha Solteira. A publicação terá lançamento oficial na inauguração da exposição, que é parte da Virada Cultural Paulista” (Site do Nagado).

 

Sobre o autor:

 

Nagado, “além de quadrinhista, também desenvolve trabalhos como redator. Escrevendo sobre cultura pop japonesa, integrou a equipe da famosa revista Herói, marco na imprensa especializada, tendo colaborado também com o portal Omelete e diversos outros veículos.

 

Seus conhecimentos o levaram a palestrar sobre quadrinhos, desenhos e seriados japoneses em eventos variados. Treinado em oratória, canto e teatro, realiza palestras para universitários, adolescentes e adultos, com apresentações tanto para grupos fechados como em grandes auditórios, sendo paletrante prestador de serviços para escritórios do Consulado Geral do Japão”(Pop Mídia).

 

Alguns Trabalhos Publicados:

 

‘Cultura Pop Japonesa – Histórias e curiosidades’ (independente, 2011) – organizador e coautor (e-book)

‘Almanaque da Cultura Pop Japonesa’ (Via Lettera, 2007) – autor

‘Cultura Pop Japonesa: Mangá e Animê’ (Hedra, 2004) – coautor

‘Dicionário Anime-DO’ (Ed. Escala, 2000) – coautor

 

[caption id="attachment_315" align="alignleft" width="300" caption="Detalhes do evento no convite"][/caption]

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…