Pular para o conteúdo principal

CHIHAYA E O ROUXINOL!

CHIHAYA E O ROUXINOL


 


**Cuidado texto com muitos spoilers**


 


Há um conto de um rouxinol que cantava nos jardins do palácio de um grande imperador chinês. Um canto tão lindo que fazia as flores mais belas, as cores mais ricas e o dia mais claro. O imperador descobriu este rouxinol e o prendeu em uma gaiola para o ouvir sempre. Este rouxinol não cantou mais, mesmo com todos os esforços do rei. Conta a parábola que o rouxinol conseguiu fugir de sua gaiola dourada, repleta de joias e petiscos saborosos. O rei, muito furioso, acabou adoecendo com muita mágoa. Há muitas versões desta parábola, e ouso dizer que o enredo de “The Idolm@ster 20” é uma releitura desta fábula de maneira intensa e criativa.


 


Chihaya acaba sendo fotografada no túmulo de seu irmão e o presidente da produtora rival, por intermédio de contatos em revistas, acaba por divulgar matérias caluniosas à respeito da Chihaya e seu relacionamento com o irmão, a morte dele, e o divórcio subsequente de seus pais. O trauma de ser exposta daquela maneira confere a cantora um trauma psicológico que a impede de cantar. No fundo, ela se sente culpada pela morte do irmão e as lembranças dele acabam por afetar a voz. Ela não consegue cantar, tal qual o rouxinol engaiolado. 


 


Apesar de toda a ajuda que ela recebe de suas amigas e do produtor, que pode ser comparada aos petiscos que o rei conferia ao rouxinol, ela desiste de cantar. Ela foge por não conseguir vencer o bloqueio que lhe impede de cantar. O bloqueio são as grades douradas da gaiola que impedem o rouxinol de cantar. Em um momento tenso, e realmente sério, nós vemos a tentativa das outras garotas em ajudar a amiga a vencer este obstáculo.


 


O grande ponto de retorno, que nos retira das sombras da depressão da personagem, é a aparição da mãe de Chihaya que entrega um livro, com os desenhos do irmão dela, a Haruka. É a resposta necessária para dar uma virada no roteiro. Haruka consegue convencer a abatida amiga a voltar a cantar, pois era o desejo de seu irmão que ficava feliz ao vê-la cantar, pois ela sorria ao fazê-lo.


 


O clímax aproxima-se, Chihaya aparece para o concerto e sobe ao palco. De súbito, o trauma retorna, imagens de seu irmão morto assombram-na, e a voz falha. Parece o fim para a carreira dela, mas eis que surge o “Personagem Transformador” que, neste caso, não é apenas um, mas todas as garotas. Com tamanho apoio de suas colegas, uma reviravolta interna começa a acontecer. Chihaya vê o espírito de seu irmão sorrindo novamente, pedindo para ela cantar, e ela percebe seu inconsciente se manifestando na forma do seu “eu infantil”, ou seja, aquela garotinha que cantava alegremente para o irmão. E esta garotinha ergue sua mão para convidar o seu “eu adulto” a voltar a cantar. No ímpeto deste momento, ela canta de maneira esplêndida. O Rouxinol voltara a cantar!  


 




[caption id="attachment_360" align="aligncenter" width="300" caption="Quando unimos mente, corpo e espírito podemos tudo!"][/caption]

“Entretanto retorno, agora que precisas de mim. E apenas te peço que não tentes prender-me, ou o amor se perderia na revolta. É certo que não estarei contigo todo o tempo que quiseres, mas hás de ouvir-me sempre que me for possível. Deixa-me cantar para ti porque te amo, não porque assim o desejas!” (Releitura da fábula no momento em que o Rouxinol retorna para cantar no leito de morte do rei, por Rejane de Fátima Pedrosa Ramos).


 


“Deixa-me cantar para ti porque te amo, não porque assim o desejas” é a Chihaya e sua reconstrução interna que definem a ela uma nova motivação para cantar. Com esta descoberta, ela cai em lágrimas em um dos capítulos mais lindos que vi em 2011. Palmas para o diretor Takahiro Harada por conduzir esta orquestra de enredo com docilidade e com uma grandiosa animação!  E definir como cinco estrelas seria pouco, eu quero dar é 10 estrelas a este capítulo!!!!


 


 




Assista de graça e oficialmente no Chrunchyroll


 


 

Comentários

Postar um comentário

Olá! Comentários com ofensas não serão permitidos. Todos os comentários serão moderados.

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…