Pular para o conteúdo principal

The Idolm@ster!

THE IDOLM@STER


Análise dos 4 primeiros capítulos- escrito em 22/08/2011 para a versão UOL do Outros Papos. 





 



Escrevi isso após assistir os 4 primeiros capítulos de The Idolm@ster e resgato, porque o wordpress parece ter mais visibilidade nos mecanismos de busca que o Zip.net. Muita coisa mudou e percebi que a história não seria como eu estava esperando que fosse. Mesmo assim, é um programa divertido e a análise vai ser usada posteriormente, quando for escrever sobre as impressões finais da série.  



 


Resumo: A série é baseada em um joguinho da Namco, em que o jogador é um produtor que deve ajudar e acompanhar a carreira a aspirantes a ídolos de uma agência chamada 765 Production. A série criada pelo estúdio A1- Picture segue esse mesmo roteiro.




Vou direto ao ponto! Eu adoro enredos em que um personagem aparece para ajudar outros personagens da trama. Gosto de ver, em histórias, a presença do personagem cujo o único objetivo é transformar vidas. Pelo que observei, nestes primeiros 4 capítulos, The Idolm@ster é justamente sobre isso: transformação de vidas através do esforço de um personagem que aqui chamarei de personagem transformador. Por que gosto desse tipo de construção de enredo? É porque ela abre portas para tramas paralelas, aprofunda personagens e torna-os mais sensíveis, mais humanos, como a personagem com medo de cães, a cantora solitária que possui problemas em casa, ou a garota que tem que alimentar seus irmãos, com seu trabalho, pois a família é pobre. Estes são elementos que poderão ser explorados, inevitavelmente, pelo personagem transformador. Isso gera uma rede de inter-relações. Percebi que as inter-relações dos personagens estão contribuindo para a criação do elo “personagem transformador-personagem arrebatado” de uma maneira única, pois cada personagem da trama parece ser tanto transformador como arrebatado pela ação do transformador mais próximo. Exemplo: uma garota pode ser o personagem transformador em um episódio e o arrebatado no episódio seguinte. Um exemplo de personagem transformador é o Kenshin Himura (Samurai X) que, através de suas ações na trama da história, transformou a vida de outros personagens, arrebatando-os de sua condição inicial. Os personagens arrebatados pela ação do Kenshin foram, por exemplo, Aoshi, Misao e Sanosuke. Isso enriquece a trama principal através da inclusão de dramas paralelos que tornam os personagens mais humanos e carismáticos. Pela inclusão dessa estrutura, que parece estar forte no enredo, The Idolm@ster já ganhou minha curiosidade.


 


A animação em si é bem fluida e o traço é simples, mas muito bonito. A expressão no olhar transmite bondade, determinação, vida e beleza. Existem garotas com diversas idades, de diferentes personalidades, com passados diversos, e biótipos para todos os gostos. Isso foi pensado para atrair o público e fisga-los pela diversidade. A fluidez, a palheta de cores e o character design colaboram com este objetivo. A dublagem permite diferenciar as idades de quase todas as personagens, mas há aquelas personagens mais velhas com voz de criança. Realmente isso não ficou bom. A música e a abertura iniciais não chegam a empolgar pela melodia, mas pela movimentação. Além das inter-relações que podem acontecer em uma rede de relacionamentos, o roteiro pode aprofundar a psiquê, e a motivação, das personagens, ou deixá-las neste exato estado mental, já mostrado nestes 4 capítulos. Acho que assim está perfeito para a proposta do animê, não necessitando aprofundar mais do que isso que já foi mostrado, pois correria o risco de sair do tema comédia leve, para o drama individual. Entretanto, se o diretor assim o fizer, vou observar para ver se não feriu a proposta incial. Gostei da animação e como o diretor a executou até aqui. Vou continuar acompanhando e ver como esta série termina. Alguns podem achar as piadas dos primeiros capítulos um tanto quanto estranhas, mas caíram como uma luva para dar dicas sobre postura, idade e carisma.


 




Glossário


Personagem Transformador é aquele que é capaz, por diálogo ou ação, de transformar o ambiente e mudar a trama para um final positivo ou negativo e, por consequência, mudar o destino de outros personagens.


 


Personagem Arrebatado é aquele que tem o seu enredo e narrativa alterados de maneira violenta, ou repentina, pelo personagem transformador. Esta ação se dará ou para a solução de um problema, ou para a sua eliminação.




 


Obs: vendo pelo lado mercadológico, uma animação que trata sobre aspirantes a ídolos faz todo o sentido, uma vez que um dos maiores programas, atualmente, se chama Ídolos e vocês conhecem as suas diferentes versões. Pegar esta onda e faturar em cima disso é realmente uma boa estratégia.








Comentários

  1. Patrick querido!!
    Acho q com o tempo todo mundo vai sair da UOL pra outro lugar da web. Relutei em deixar pra trás meus comentários e posts antigos. Bem vindo a casa nova!! Não entendo nada de mangás e animês, mas vc e a Ju me deixam pelo menos situada do q se trata. Obrigada!! Bjo carinhoso

    ResponderExcluir
  2. Oi! Que saudades de ler seus comentários aqui! Que bom que você voltou! :) Ah, eu também não aguentava mais aquele blog. Era um beco sem saída! Aqui é muito melhor! Volta sempre para me visitar! :)

    ResponderExcluir
  3. Ah, meu caro! Mas não há nada de mais em escrever um "Primeiras Impressões". Você acaba deixando o leitor com curiosidade o bastante para ver quais serão as últimas, hehe!
    Que bom resgatar antigos posts assim.
    ...
    Até!

    ResponderExcluir
  4. Olá! Realmente, acho que na próxima temporada eu vou fazer mais destas análises! Gostei de escrever sobre isso! :)

    ResponderExcluir
  5. [...] irmão morto assombram-na, e a voz falha. Parece o fim para a carreira dela, mas eis que surge o “Personagem Transformador” que, neste caso, não é apenas um, mas todas as garotas. Com tamanho apoio de suas colegas, uma [...]

    ResponderExcluir
  6. [...] Leia também: The Idolm@ster 20 e Análise dos 4 primeiros capítulos [...]

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá! Comentários com ofensas não serão permitidos. Todos os comentários serão moderados.

Postagens mais visitadas deste blog

Diego Rox e o Jardim das Borboletas

Diego Rox e o Jardim das Borboletas
Como sabem, sou inscrito do canal do Nando Moura, ou seja, sou um dos “bots” do canal. Sobre este assunto, está até engraçado. Vou escrever sobre isto antes de entrar no assunto. Os adversários que temem a verdade nos ofendem com termos que não condizem com nosso real comportamento. Ficou engraçado, porque, se juntarmos todas as ofensas em uma frase, eu acabo virando um “robô, com recurso de bot, nazista e fascista, que não gosta de odores fortes”, por isso, está engraçado ver esta situação. Fui reduzido a um robô Windows 10, que não gosta de pum.
Ao assunto. Através do vídeo do Nando, sobre o uso de bots, eu acabei conhecendo o canal do Diego Rox. Veja um vídeo abaixo. Ele parece ter uma agenda parecida com a do Nando Moura, isto é, ele é cristão, pois acredita em Deus e em Cristo, prega ação contra a corrupção, homenageia os verdadeiros heróis anônimos, é caridoso e defende a liberdade. Uma agenda que também me aproxima dele, por isso, hoje, esto…

Cavaleira ou Amazona? Veja a resposta!

Amazona ou Cavaleira?
    Em meu tempo de colégio, nas décadas de 80 e 90, nos foi ensinado que o feminino de cavaleiro seria amazona. Em uma prova, um colega marcou o feminino de cavaleiro sendo cavaleira e foi repreendido. Desta forma, fixei amazona como o feminino correto para o termo em questão, ou seja, mulher que anda a cavalo. Ao assistir Walkure Romanze, eu me deparei com a palavra cavaleira e me questionei. Inclusive, alertei-os para a forma que eu julgava correta, mas sem retorno positivo. Deste modo, fui pesquisar para ver se a expressão estaria correta.


    Nestas pesquisas, encontrei um professor que prontamente me respondeu a esta questão. O caso estava solucionado com uma bela lição que, agora, repasso a vocês. Com a palavra o professor Ari Riboldi.
    No meu tempo de estudante, no ensino primário e no ginásio, também se aprendia assim: cavaleiro (masc.), amazona (fem); cavalheiro (masc.), dama (fem.). No entanto, os dicionários registram o termo 'cavaleira' …

Será o Veredito?!

Canal Será o Veredito?!
Foi a primeira recomendação do Youtube que gostei de ter recebido. Sobre o canal: “O Direito tá na mídia! O Direito tá na moda! Um juiz de direito se torna celebridade nacional. Tribunais transmitem suas sessões ao vivo pela televisão. Os meios de comunicação não se cansam de veicular notícias jurídicas. Mas, o mundo jurídico possui formalidades que dificultam a compreensão dos seus temas pelo cidadão que não tem formação no direito. Muito se fala; pouco se explica. Por isso surgiu o "Será o Veredito!?". Um canal que traz informações sobre o direito com uma linguagem simples, clara e objetiva.”



O primeiro vídeo que vi desse canal foi uma resposta ao Bugalho. Uma resposta baseada em livros, mostrando a fonte de seu conhecimento e minando, com ótimos argumentos, a posição de seu opositor. Todos os vídeos que assisti foram assim, com a fonte de leitura em mãos. Ele já se disse de centro-direita, o que o faz ser um aliado natural da liberdade e da proprie…