quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Media Book- Ibope 2010

(CORRIGIDO EM 24/09/2011)

ANÁLISE DOS MEIOS- MEDIA BOOK 2010


Resumo da penetração de mídia em 13 países já está on-line.


 


O ibope lançou, recentemente, a sua nova edição de estudos de mercado e mídia. O estudo é amplo e alcança o mercado de 13 países aonde o Ibope trabalha. Este grande resumo mostra as maiores audiências de televisão aberta e televisão a cabo, penetração da internet, investimentos nos meios de comunicação, além de dados de revistas e jornais. Mostrarei os dados referentes ao Brasil e curiosidades. 


 


O brasileiro, aqui estudado pelo ibope, está assim dividido: Classes A e B (A1, A2, B1 e B2), juntas somam 36% do universo entrevistado. A classe C, somente ela, é quase metade dos entrevistados- 49%. Dos 25 anos, até os 50 anos, somam 60% deste universo total.  


 


O mercado brasileiro, estudado pelo Ibope, mostra uma baixa penetração da televisão por assinatura, estando apenas com 28%. É muito baixa se estudada com quase todos os países da América do Sul. A televisão aberta continua, no ano de 2010, a ter a maior penetração de mercado com 97%. A maior janela para o mercado ainda é a televisão aberta. A internet, por sua vez, ultrapassa a penetração de jornais (34%), revistas (38%), tv a cabo (28%) e até das rádios (52%). Com uma penetração de 56%, a internet se mostra uma janela muito promissora. O curioso é que, no universo de pessoas entrevistadas e estudadas, apenas 49% disseram ter um PC em casa. Mas aí é que está o grande trunfo da internet, pois ela pode ser acessada via telefone, e 80% dos entrevistados disseram ter celulares. Por isso, o streaming é uma ferramenta de divulgação e comercialização que possui um espaço de crescimento altíssimo e, se bem explorado, promoverá retornos impressionantes. Por isso, Crunchyroll, Netflix e outros estão se movendo para abocanhar este mercado inexplorado oficialmente.


 


Os números à seguir mostram a força que a internet brasileira possui. O Ibope informa que 73.903.236 pessoas possuem acesso a web (casa, trabalho, escola...). Considerando que existem 190 milhões de brasileiros, é um mercado muito amplo. E 34.224.435 brasileiros usaram internet em casa ao menos uma vez em 2010 (usuários ativos), sendo que o total de usuários com acesso a internet foi de 51.077.405. Aqui a coisa muda de figura e desmascara muitos diálogos que tentam desqualificar a vinda de streamings ao Brasil, como “o brasileiro não tem como pagar por um sistema de streaming”, pois 51% dos que possuem internet estão nas classes A e B, ou seja, há, sim, um mercado forte e que tem condições de sustentar um sistema bom de streaming. Mas e a velocidade de acesso? Já existem esforços tanto do governo, quanto das empresas, para baratear a banda larga e torna-la  mais acessível. Em muitas regiões de Brasília já há, por exemplo, banda larga disponível gratuitamente (Esplanada dos Ministérios, região perto do Estádio Mané Garrincha). Aliás, os investimentos, em todo o ano de 2010, para a internet, no Brasil, estão em US$1.795.605.230,00 e, com a chegada de streamings, esse investimento tende a crescer e ampliar este mercado. Novamente, eu afirmo: quanto maior for o investimento, maior o mercado e, quanto maior o mercado, mais emprego, mais produtos e mais renda. Por isso, eu colaboro com os streamings oficiais.


Este é um esboço da mídia no Brasil. Quem quiser ler o estudo completo, e ver como Pokemon ainda é um produto forte em muitos países, acessem o link abaixo e leiam:


 


Estudo do Ibope


Crunchyroll


Netflix  


Nico Nico (em fase de investigação. Consegui me cadastrar, mas não consegui ver vídeo nenhum).